Café arábica encerra dia em NY com leves altas de até 30 pts

Publicado em 25/06/2018 17:27 e atualizado em 26/06/2018 04:03
153 exibições

LOGO nalogo

Nesta segunda-feira (25), o café arábica encerrou o dia na Bolsa de Nova York (ICE Futures Group) com leves altas nos principais vencimentos.

O contrato julho/18 teve alta de 30 pontos, a 114,15 cents/lb. Para setembro/18, a alta foi de 25 pontos, a 117,20 cents/lb. Dezembro/18 teve alta de 25 pontos, a 120,60 cents/lb, enquanto março/19 teve alta também de 25 pontos, a 124,15 cents/lb.

O analista de mercado Marcus Magalhães, em seu programa "A Voz do Café", destacou que as cotações devem se manter em um suporte e não há fator fundamental que leve a uma grande volatilidade para essa semana. Este ponto deverá trazer um contexto de neutralidade especulativa.

No cenário climático, não há previsão de chuvas no curto prazo para a região produtora, o que deve favorecer a colheita em andamento.

Com atuação do Banco Central, o dólar encerrou praticamente estável. A queda foi de 0,01%, com a moeda a R$3,7806.

Mercado interno

O café tipo 4/5 teve variação apenas em Poços de Caldas (MG) no dia de hoje, onde ocorreu a alta de 0,44%, a R$459,00.

Para o café tipo 6 duro, a maior variação do dia foi em Lajinha (MG), com alta de 2,33%, a R$440,00. Também tiveram variações Poços de Caldas (MG) e Maringá (PR), enquanto as demais praças permaneceram estáveis.

No café tipo cereja descascado, a maior variação foi em Lajinha (MG), com alta de 3,30%, a R$470,00.

Na sexta-feira (22), o Indicador do Café Arábica Cepea/Esalq teve queda de -0,59%, a R$445,34.

>>>Confira mais cotações de café

Exportação de café do Brasil mostra recuperação em junho, diz Secex

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de café do Brasil no acumulado de junho se recuperaram na comparação com uma mínima de mais de uma década registrada em maio, quando a paralisação de caminhoneiros e a baixa oferta no país impactaram os despachos.

Os embarques de café em grão do maior produtor e exportador global atingiram 1,71 milhão de sacas de 60 kg até a quarta semana do mês (16 dias úteis), já superando o total registrado em todo o mês de maio, quando ficaram um pouco acima de 1,4 milhão de sacas, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

As exportações de café verde do Brasil em maio atingiram o menor volume mensal desde fevereiro de 2004, segundo dados do Conselho dos Exportadores de Café do país (Cecafé).

As vendas externas do país tendem a se recuperar de agora em diante com a chegada ao mercado de uma safra recorde estimada pelo governo em 58 milhões de sacas.

Em junho do ano passado, segundo a Secex, as exportações somaram 1,9 milhão de sacas.

Por: Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário