Café: Em ajustes, cotações do arábica encerram sessão desta 3ª feira com queda de mais de 150 pts em NY

Publicado em 16/10/2018 17:32
202 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram a sessão desta terça-feira (16) com queda de mais de 150 pontos. O mercado externo registra ajustes depois de avançar forte nos últimos dias, o que fez com que o primeiro vencimento se aproximasse de US$ 1,20/lb.

O vencimento dezembro/18 fechou o dia com queda de 170 pontos, a 117,65 cents/lb e o março/19 anotou 121,30 cents/lb com recuo de 165 pontos. Já o vencimento maio/19 registrou 123,70 cents/lb com desvalorização de 165 pontos, enquanto o julho/19 teve 160 pontos de baixa, a 126,10 cents/lb.

Depois de três altas seguidas, o mercado externo do arábica buscou acomodação na sessão desta terça mesmo com nova queda do dólar ante o real, fator que vinha dando suporte aos preços externos da variedade. Apesar da baixa, o vencimento referência permanece acima de US$ 1,20 por libra-peso.

"O real tem encontrado apoio com o candidato de direita à Presidência do Brasil liderando o primeiro turno das eleições e sua ida para o segundo. Bolsonaro poderia instituir reformas no ​​mercado, como a venda de estatais e adequação de regulamentos empresariais e talvez ambientais", disse na véspera o vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville.

Ignorado pelo mercado nesse dia de acomodação, o dólar comercial encerrou o dia com queda de 0,37%, cotado a R$ 3,7203 na venda, acompanhando o cenário externo e o cenário político local com atenção para o 2º turno das eleições. A moeda mais baixa tende a desencorajar as exportações da commodity.

"O Ibope deu praticamente como certa a eleição de Bolsonaro", disse para a Reuters internacional o sócio da assessoria de investimentos Criteria Investimentos, Vitor Miziara. Todo esse cenário, segundo o especialista, favoreceu o mercado testar R$ 3,70 no dia.

Do lado fundamental, poucas novidades têm movimentado o mercado. A safra 2019/20 está em plena florada e a comercialização da temporada passada ainda segue. Na última semana, a consultoria Safras & Mercado informou que a comercialização atingiu 51% até o dia 09 de outubro. As vendas estão ligeiramente atrasadas em relação ao ano passado.

Mercado interno

O mercado brasileiro de café teve mais um dia de altas em algumas praças. "O mercado é comprador, com muitos interessados em cafés de boa qualidade. Os produtores que podem ainda aguardam para colocar um volume maior de lotes no mercado, mas todos os dias saem negócios no mercado físico brasileiro", disse em boletim o Escritório Carvalhaes.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 490,00 e alta de 1,03%. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Espírito Santo do Pinhal (SP) com avanço de 2,17% e saca a R$ 470,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca cotada a R$ 470,00 – estável. A maior variação no dia ocorreu em Poços de Caldas (MG) com queda de 0,44% e saca a R$ 453,00.

O tipo 6 duro anotou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 460,00 – estável. A maior oscilação no dia foi registrada no Oeste da Bahia (AIBA) com alta de 3,27% e saca a R$ 426,00.

Na segunda-feira (15), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 449,66 e alta de 4,30%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário