Café: Em ajustes, Bolsa de Nova York encerra sessão desta 2ª com altas de mais de 100 pts

Publicado em 07/01/2019 17:33
242 exibições

LOGO nalogo

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram a sessão desta segunda-feira (07) com alta de mais de 100 pontos. O mercado realizou ajustes técnicos ante a queda da sessão anterior e teve suporte do câmbio em parte do dia.

O vencimento março/19 fechou o dia com alta de 115 pontos, a 102,75 cents/lb e o maio/19 teve avanço de 110 pontos, a 105,75 cents/lb. O julho/19 registrou 108,55 cents/lb com valorização de 105 pontos e o setembro/19 registrou 111,30 cents/lb e 100 de ganhos.

Depois de fechar a sessão anterior com queda de cerca de 50 pontos e quase perder o patamar de US$ 1 por libra-peso no vencimento referência, o mercado externo do arábica passou por ajustes técnicos durante o dia. Além disso, em parte da sessão, os preços seguiram o câmbio.

"O real saltou para a alta de 2 meses contra o dólar esta manhã, o que é positivo para o café, uma vez que desencoraja as exportações dos produtores de café do Brasil. Outro fator de apoio ao café é a preocupação da safra brasileira", noticiou o site internacional Barchart.

O dólar chegou a trabalhar em baixa durante o dia e deu suporte ao café. No entanto, no fim dos trabalhos, fechou a R$ 3,7350 com alta de 0,53%, depois de atrair movimento comprador e de olho no mercado internacional. Na mínima, a moeda chegou a R$ 3,6907 e na máxima testou R$ 3,7350.

Apesar da alta, operadores externos seguem atentos às informações sobre a safra 2018/19 do Brasil, que tem estimativas em cerca de 60 milhões de sacas de 60 kg. Além disso, preocupações com a próxima temporada já aparecem devido às condições do tempo.

O Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP), no entanto, acredita em mais um ano de safra alta. "Mesmo com a bienalidade negativa do arábica, o clima tem auxiliado o desenvolvimento das plantas, o que pode aumentar a produtividade", destacou o centro.

Mercado interno

O mercado brasileiro de café segue com negócios isolados neste início de ano com produtores atentos aos preços externos do grão. Já se espera que a próxima safra do grão seja de alta produção no país e novas baixas podem ser vistas nas praças físicas.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Poços de Caldas (MG) com saca a R$ 432,00 – estável. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Guaxupé (MG) com alta de 0,47% e saca a R$ 430,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 425,00 e alta de 2,41%. Foi o maior valor de negociação dentre as praças.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Vitória (ES) com saca a R$ 442,00 e estabilidade. A maior oscilação ocorreu em Poços de Caldas (MG) com recuo de 1,25% e saca a R$ 395,00.

Na sexta-feira (04), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 407,57 e alta de 0,22%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário