Colômbia avalia vender café a seu próprio preço, ignorando mercado de Nova York

Publicado em 27/02/2019 14:11
771 exibições

LOGO REUTERS

BOGOTÁ (Reuters) – A Colômbia, maior produtora mundial de café arábica lavado, planeja vender sua colheita a um preço que cubra os custos de produção, sem estar atrelado à cotação do mercado de Nova York, informou a federação nacional do café nesta terça-feira.

A federação há tempos soou o alarme quanto aos preços baixos, que deixam muitos cafeicultores operando com prejuízos, argumentando aos grandes compradores que eles deveriam garantir que os produtores obtivessem lucro. Os cafeicultores ainda pediram subsídios ao governo.

Os produtores precisam obter 760 mil pesos (cerca de 240 dólares) por 125 kg no mercado interno para atender aos custos de produção, disse a federação. Os preços no mercado interno estavam em 690 mil pesos por carregamento na segunda-feira.

“Chegou a hora de começar a pensar em um modo diferente e separar o preço do café colombiano do mercado de softs de Nova York e chegar a um ponto em que tenhamos um lucro acima dos custos de produção”, disse a repórteres Roberto Velez, líder da federação.

“Se você quiser, paga o preço; se não quiser isso, não compra café colombiano, pois caso contrário o café colombiano não é viável”, disse Velez.

Os cafeicultores colombianos “não podem gastar suas vidas inteiras mendigando, porque a indústria está ficando rica com o que eles produzem”, declarou.

Segundo Velez, o mercado de Nova York está muito ligado à produção do Brasil e não leva em conta os cafeicultores de Colômbia e América Central.

Até aqui em 2019, os preços flutuaram próximos a 1 dólar por libra-peso no mercado de Nova York. A Colômbia estabeleceria seus preços entre 1,40 e 1,50 dólar por libra-peso, de acordo com Velez.

A proposta precisará de apoio de cafeicultores, de produtores do arábica de outros países e de compradores antes de ir em frente, disse a federação em comunicado.

(Por Luis Jaime Acosta, com texto de Julia Symmes Cobb)

Tags:
Fonte: Reuters

1 comentário

  • Carlos Rodrigues -

    Até que em fim alguém com uma ideia com pés e cabeça... o Brasil, maior produtor e exportador do mundo, continua com uma politica ajoelhado ao setor especulador quanto tem o queijo e faca na mão...

    1