Café arábica tem nova reação na Bolsa de Nova York e sobe mais de 100 pts nesta 3ª feira

Publicado em 26/03/2019 17:18 e atualizado em 26/03/2019 17:49
286 exibições

LOGO nalogo

Os futuros do café arábica tiveram mais um dia de recuperação na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), com altas de mais de 100 pontos. O mercado nesta terça-feira (26) registrou ajustes e movimentações técnicas ao longo da sessão, mas também teve suporte do dólar em alguns momentos.

O vencimento maio/19 encerrou o dia com alta de 110 pontos, a 95,35 cents/lb e o julho/19 anotou 97,95 cents/lb com 105 pontos de ganhos. O setembro/19 anotou 100,65 cents/lb com 95 pontos positivos e o dezembro/19 registrou 104,55 cents/lb com valorização de 100 pontos.

O mercado do café arábica buscava acomodação técnica desde a véspera e agora atinge o patamar de 95 cents/lb. Nos últimos dias, os futuros da variedade se aproximaram das mínimas de mais de 10 anos acompanhando dados da oferta. O câmbio também contribuiu para os ganhos em parte do dia.

"Nesta terça-feira, os futuros do café arábica continuaram em cobertura de posições vendidas com o rally de 1,3% e recuperação do real nas negociações do dia, embora a moeda tenha recuado mais tarde", destacou o site internacional Barchart.

Às 16h58, o dólar comercial avançava 0,36%, a R$ 3,871 na venda, mas chegou a recuar em parte do dia, testando mínimas de R$ 3,8343. As oscilações cambiais impactam diretamente nas exportações das commodities. Quando em queda, a divisa desencorajava os embarques.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participaria nesta terça-feira da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na Câmara dos Deputados. No entanto, o encontro foi cancelado, e o dólar passou a testar as máximas do dia após trabalhar a maior parte da manhã do lado vermelho da tabela.

"Claramente há um problema de falta de articulação. Sem a Previdência devidamente encaminhada até o começo do segundo semestre o preço 'justo' do dólar será a partir de 3,90 reais, a caminho de 4 reais", disse para a Reuters o diretor de câmbio da Intercam Corretora, Jaime Ferreira.

Nos últimos dias, operadores negociavam em Nova York com as perspectivas de ampla oferta. Do outro lado, produtores de vários países do mundo, dentre eles o Brasil, maior produtor e exportador do mundo, relatam preços abaixo dos custos de produção.

Mercado interno

O mercado brasileiro do arábica continua com negócios isolados neste início de semana. Após baixas recentes desestimularem as transações, os preços de alguns tipos de café voltaram a subir, apesar de ainda seguem aquém do desejo do produtor. O tipo 6 voltou a se aproximar de R$ 400,00 a saca.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Guaxupé (MG) com saca a R$ 425,00 e alta de 1,43%. Foi a maior oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 400,00 e alta de 1,27%. Foi a maior oscilação no dia dos tipos.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Vitória (ES) com saca a R$ 442,00 - estável. As oscilações mais expressivas foram em Franca (SP) (+1,28% e saca a R$ 395,00) e Média Rio Grande do Sul (-1,28% e saca a R$ 385,00).

Na segunda-feira (25), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 390,88 e alta de 0,39%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário