Café arábica volta a cair na Bolsa de Nova York nesta 5ª com novos dados da oferta

Publicado em 04/04/2019 17:46
256 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café arábica encerraram a sessão desta quinta-feira (04) com leve baixa na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado chegou a oscilar dos dois lados da tabela durante a sessão, mas novas informações sobre a oferta voltaram a pressionar os preços.

O vencimento maio/19 encerrou a sessão com queda de 5 pontos, a 95,30 cents/lb e o julho/19 anotou 97,80 cents/lb com 5 pontos de perdas. O setembro/19 anotou 100,30 cents/lb com 15 pontos negativos e o dezembro/19 registrou 104,05 cents/lb com desvalorização de 20 pontos.

O mercado do arábica registrou alta de mais de 300 pontos na véspera na ICE em processo de recuperação e de olho no câmbio e informações sobre a safra 2019/20. No entanto, os preços viraram quase no fim dos trabalhos desta quinta-feira acompanhando dados mais otimistas.

O vencimento referência da variedade oscilou na sessão entre mínima de 94,68 cents/lb e máxima de 96,95 cents/lb.

"A OIC elevou sua estimativa de excedente de café em 2018/19 para 3,1 milhões de sacas de uma estimativa anterior de 2,29 milhões de sacas e a Safras elevou a estimativa de produção do Brasil em 2019/20 para 58,9 milhões de sacas", destacou site internacional Barchart.,

Apesar das novas informações sobre a oferta, o vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville, diz acreditar que o Brasil terá produção de cerca de 52 milhões de sacas nesta temporada de bienalidade negativa após colheita na temporada 2018/19 entre 62 ou 63 milhões de sacas de 60 kg.

"O Brasil teve uma grande produção na safra atual, mas a próxima deve ser menor, pois é de bienalidade negativa", disse Scoville.

Nesta quinta-feira, a OIC (Organização Internacional do Café) informou que o superávit global na temporada 2018/19 será de 3,06 milhões de sacas com produção de 168,05 milhões de sacas. A organização reduziu a estimativa de produção do arábica para 103,71 milhões.

Leia mais:
» OIC eleva previsão para superávit de café na safra global 2018/19

Sobre a temporada 2019/20, a informação que movimentou o mercado foi a divulgação de estimativa de produção da Safras & Mercado. A consultoria brasileira aposta em colheita de 58,9 milhões de sacas para o país, o que representaria uma queda de 8,1% ante a temporada anterior.

Leia mais:
» Produção brasileira de café 2019/20 deve cair para 58,9 mi scs, aponta Safras & Mercado

Mercado interno

Os negócios seguem acontecendo lentamente no mercado brasileiro de café, mas podem nas próximas semanas. "A expectativa de agentes é de que, com a aproximação da safra, a liquidez aumente nos próximos dias, devido às necessidades de caixa de produtores e de escoamento do café remanescente para armazenamento do novo", disse em nota o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Poços de Caldas (MG) com saca a R$ 423,00 – estável. A maior oscilação no dia foi registrada em Espírito Santo do Pinhal (SP) com queda de 2,50% e saca a R$ 390,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 415,00 e alta de 3,75%. Foi a maior oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com saca a R$ 396,00 – estável. A maior oscilação no dia ocorreu na Média Rio Grande do Sul com alta de 2,67% e saca a R$ 385,00.

Na quarta-feira (03), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 392,46 e alta de 2,05%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário