Café: Terça-feira registra desvalorização na Bolsa de NY

Publicado em 16/07/2019 16:57 e atualizado em 17/07/2019 09:42
492 exibições

LOGO nalogo

A terça-feira (16) chega ao final com a Bolsa de Nova York (ICE Futures Group) registrando desvalorizações para os vencimentos do café arábica. As quedas das principais cotações ficaram entre 465 e 470 pontos.

O contrato Setembro/19 teve baixa de 470 pontos, a 105,55 cents/lb. Para o contrato Dezembro/19, a desvalorização foi de 465 pontos, a 109,35 cents/lb. Março/20 acumulou perda de 470 pontos, a 111,95 cents/lb e Maio/20, queda de 465 pontos, a 115,25 cents/lb.

Esses números representaram perdas de 4,26% para o setembro/19, 4,08% para o dezembro/19 e 4,84% para o março/20 com relação ao fechamento da última segunda-feira (15).

Segundo informações da Agência Reuters, concessionários continuam a acompanhar de perto as temperatura na regiões produtoras do Brasil. “Temperaturas frias são esperadas, mas a ameaça de novas geadas parece baixa”, diz Ayenat Mersie da Reuters New York.

A publicação ainda destaca que os estoques de café verde dos Estados Unidos subiram 210.255 para 6,8 milhões de sacas de 60 kg até o final do mês de junho, de acordo com a Associação de Café Verde dos EUA.

Ainda nesta terça-feira o Cepea apontou que a colheita do café arábica no Brasil “vêm avançando com força, sendo que a maior parte deve ser colhida ainda neste mês, restando apenas as catações finais para agosto”.

As praças mais adiantadas ainda são o Noroeste do Paraná e Garça (SP), com os trabalhos atingindo de 70% a 80% da área em ambas as regiões até a última semana, disse o Cepea. Na Mogiana (SP) e na Zona da Mata (MG), as atividades estavam entre 60% e 75% do total. Já no Sul e Cerrado Mineiro a colheita avançou para 60% e 70%, respectivamente.

De acordo com informações da Reuters Brasil, “o avanço da colheita está em linha com o relatado nesta terça-feira pela Cooxupé, maior cooperativa cafeeira do mundo que atua principalmente em Minas Gerais, que apontou que a colheita dos cooperados atingiu 66,4% da área total na semana encerrada em 12 de julho”.

Mercado Interno

No mercado brasileiro a maioria das movimentações também aconteceram do lado negativo das cotações.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Guaxupé/MG com saca a R$ 463,00 – com desvalorização de 3,14%, também a maior registrada.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Poços de Caldas/MG, com saca a R$ 427,00 e baixa de 1,84%, a maior oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação no Rio Grande do Sul com saca a R$ 435,00 e movimentação de 1,16% positivo. Já a maior oscilação registrada pra o tipo foi percebida em Araguari/MG, 3,49%, e a saca valendo R$ 415,00.

Confira como ficaram as cotações nesta terça-feira:

>> CAFÉ

Tags:
Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Jair Del Cól Valinhos - SP

    Sobe 3.8% em 1 dia e no outro despenca 4.5%. Alguém pode explicar, tecnicamente, isso?

    1
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Gráficos mostram tendencia de alta para o café... Em minha opinião, o preço do café vai subir, e acho isso baseado na análise do gráfico diário segundo aquilo que eu vejo..., (estou dizendo que "acho" que vai subir, e não que "tenho certeza" de que o preço vai subir) ... Posso tentar explicar graficamente através da análise técnica. Existem 3 tipos de tendências, a primária, secundária e terciária. A terciária é de 1 a 3 meses, a secundária de 1 a 6 meses e a primária maior que 6 meses. O café contrato futuro dezembro de 2019 vem caindo desde o inicio de 2018 (está em uma tendência primária de baixa), de forma que dentro dessa tendência primária o que houve nos últimos dias foi uma correção do preço... Em análise técnica temos o "price action" que é a "ação" do preço. Se formos para os tempos gráficos menores, diários, podemos dizer que o preço se encontra em uma tendência terciária, dentro de uma correção de preço na tendência maior. Tenham um pouco de paciência, pode parecer muito complicado mas não é (alguns não entenderão direito por ser a primeira vez que ouvem falar nessas coisas, no começo eu também não entendia nada)... Seguindo, muitas vezes acontece do preço subir direto em um movimento muito forte, onde praticamente não há a "correção" de preço; o preço faz o que quer e sobe direto, porém o normal é subir corrigindo... Correção de modo simples é quando depois do preço subir, voltar a cair até aproximadamente 60% do que subiu, para depois retomar o movimento de alta, ou o seu contrário, depois de cair, subir aproximadamente 60% para depois voltar a cair. Isso é básico. Quando olhamos um gráfico para tentar saber como o preço vai se comportar a grande dificuldade é essa, saber se o movimento é só de correção, quanto vai corrigir ou se aquele movimento é uma reversão de tendência que é quando o preço muda de alta para baixa ou o contrário. Essa é a grande dificuldade, na análise técnica existem sempre as duas possibilidades dentro dos diferentes tempos gráficos, do 1 minuto ao 1 mês. Em matemática isso se chama fractal, mas é outro assunto dentro dos milhares da análise técnica. E escrevo isso apenas para demonstrar as enormes dificuldades existentes para se "adivinhar" para que lado vai o preço, costumamos dizer que o preço vai para onde quer e quando quer...

      Para proteger o produtor existem as opções, que são um seguro de preço.., bons corretores podem explicar isso aos produtores. Na minha opinião, o preço do café está em um preço de compra, no caso a compra de uma opção de compra, também chamada pelo termo inglês, "call", que, para os mais elitizados é pronunciada cooll, desse jeito mesmo... com a letra o e meio espichando as silabas. E por que digo isso, porque o preço no gráfico diário está em um suporte dentro de uma correção do gráfico semanal, de forma que quem acredita que vai subir agora é a hora de comprar a opção de compra que nada mais é que uma forma de participar da alta (mesmo já não tendo o café, vendido anteriormente)... Você paga um premio à "seguradora" que, no caso, é o lançador da opção que adquire a obrigação de vender o produto em questão à um preço determinado em uma data determinada. De outro lado, quem compra a opção café dezembro, ICFZ2019C01330 por exemplo, adquire o direito de pagar a saca de café o preço de 133 reais nem que o preço esteja 500. Esse é o seguro, compra por 133 e vende por 500, sem despesas de armazenagem, etc... Caso você erre e o preço caia, sendo o titular, o lançador da opção vai ficar com o premio pago por você e sua perda fica limitada a isso.

      Ligue para uma corretora e obtenha mais informações (gratuitamente). Procure os endereços no site da B3...

      4