Café: Arábica mantém cotação no positivo, mas Londres recua nesta 5ª feira

Publicado em 06/05/2021 11:43 383 exibições
Oferta global restrita e câmbio dão suporte na Bolsa de Nova York

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica segue operando com valorização para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Por volta das 11h38 (horário de Brasília), julho/21 tinha alta de 155 pontos, negociado por 151,35 cents/lbp, setembro/21 teve alta de 145 pontos, negociado por 153,05 cents/lbp, dezembro/21 tinha alta de 125 pontos, negociado por 155,40 cents/lbp e março/22 tinha alta de 130 pontos, negociado por 157,50 cents/lbp. 

 As previsões climáticas mais recentes seguem preocupando o mercado cafeeiro. As chuvas retornaram nas principais áreas produtoras do país no final de novembro, mas desde então as precipitações ficam abaixo do ideal, acentuando o déficit hídrico e levantando preocupações não só para a safra a ser colhida, mas também na produção de 2022. 

Além dos problemas de oferta, o dólar em queda ante ao real dá suporte para os preços em Nova York. Às 11h45 (horário de Brasília), o dólar registrava queda de 1,33% e era cotado por R$ 5,29 na venda. "O dólar era negociado em queda contra o real nesta quinta-feira, com os investidores digerindo a sinalização do Banco Central de que vai promover outro aumento de 0,75 ponto percentual na taxa Selic em junho, depois de ter elevado os juros domésticos em 3,5% ao ano na véspera", destacou a agência de notícias Reuters. 

Já na Bolsa de Londres, o café tipo conilon opera com leves baixas, após uma sessão de expressiva valorização. Julho/21 tinha queda de US$ 9 por tonelada, valendo US$ 1529, setembro/21 tinha baixa de US$ 4 por tonelada, negociado por US$ 1555, novembro/21 tinha baixa de US$ 5 por tonelada, valendo US$ 1571 e janeiro/22 tinha queda de US$ 6 por tonelada, valendo US$ 1585.

Leia Mais:

+ Produção de café colombiano cresce 9% em abril

+ Seca no Brasil, câmbio e problemas na Colômbia: Preços do café explodem e sobem mais de 900 pontos em Nova York

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário