Ainda de olho na oferta e demanda, café finaliza semana com desvalorização em Londres e NY

Publicado em 14/05/2021 16:51 e atualizado em 15/05/2021 21:56 568 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica encerrou a sessão desta sexta-feira (14) com desvalorização técnica para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US).

Julho/21 tinha queda de 140 pontos, negociado por 145 cents/lbp, setembro/21 teve baixa de 140 pontos, negociado por 146,95 cents/lbp, dezembro/21 tinha queda de 120 pontos, negociado por 149,60 cents/lbp e março/22 tinha baixa de 105 pontos, valendo 151,90 cents/lbp. 

Os preços do café na sexta-feira registraram perdas moderadas, com o robusta caindo para uma nova baixa de 1 semana e o arábica ficando um pouco acima da mínima de quinta-feira. Segundo análise do site internacional Barchart, oferta atual abundante está pesando sobre os preços do café, uma vez que os estoques de café da ICE aumentaram nos últimos sete meses.

"Os estoques de café arábica da ICE na quinta-feira aumentaram para uma alta de 2 meses, de 2.020 milhões de sacas, se recuperando ainda mais da baixa de 21 anos de 1.096 milhões de sacas registrada em 5 de outubro", afirma a publicação. 

No acumulado semanal, o principal contrato com vencimento em julho/21 recuou 2,06% na Bolsa de Nova York. Apesar da análise internacional, analistas ouvidos pelo Notícias Agrícolas afirmam que o cenário segue sendo de preços firmes para o café devido a oferta restrita e a expectativa de uma demanda mais aquecida no segundo semestre, à medida que a vacinação da Covid-19 avança. 

Leia Mais:

+ No início da colheita, condição do parque cafeeiro ainda é muito preocupante, avalia Guy Carvalho

Em Londres, o café tipo conilon também encerrou com desvalorização. Julho/21 teve queda de US$ 35 por tonelada, valendo US$ 1460, setembro/21 teve queda de US$ 34 por tonelada, valendo US$ 1486, novembro/21 teve queda de US$ 34 por tonelada, valendo US$ 1503 e janeiro/22 também teve queda de US$ 34 por tonelada, valendo US$ 1517. No caso do conilon, a principal referência - julho/21, recuou 3,82% no acumulado semanal. 

No Brasil, o mercado físico encerrou com estabilidade nas principais praças produtoras do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve queda de 0,64% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 775,00, Patrocínio/MG registrou queda de 1,23%, valendo R$ 805,00, Varginha/MG teve queda de 0,61%, negociado por R$ 817,00 e Franca/SP teve queda de 1,20%, valendo R$ 820,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 823,00 e Araguarí/MG por R$ 840,00.

O tipo cereja descascado teve teve queda de 0,61% em Poços de Caldas/MG, estabelecendo os preços por R$ 820,00, Patrocínio/MG teve baixa de 1,18%, negociado por R$ 835,00 e Varginha/MG encerrou com baixa de 0,58%, negociado por R$ 850,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 865,00 e Campos Gerais/MG por R$ 882,00.

>>> Veja mais cotações aqui

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário