Publicidade

Em mais um dia de desvalorização, café arábica encerra com baixa de 1,97% em NY

Publicado em 29/07/2021 17:30 e atualizado em 29/07/2021 18:06 541 exibições

Logotipo Notícias Agrícolas

O mercado futuro do café arábica encerrou o pregão desta quinta-feira (29) com queda de 1,97% para as principais referências na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Setembro/21 tinha queda de 395 pontos, cotado a 196,50 cents/lbp, dezembro/21 teve baixa de 405 pontos, valendo 199,30 cents/lbp, março/22 teve queda de 400 pontos, valendo 201,40 cents/lbp e maio/22 registrou baixa de 400 pontos, valendo 202,10 cents/lbp. 

"Os preços do café fecharam em forte queda na quinta-feira, devido à especulação de que uma geada prevista para cair sobre o Brasil será menos intensa do que o inicialmente temido, o que diminui as chances de maiores danos às safras de café do Brasil, destacou a publicação internacional do site Barchart. 

Aqui no Brasil, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) mantém que o dia mais severo para o frio será na sexta-feira, dia 30, com previsão de geada entre forte e moderada no parque cafeeiro no Paraná e entre fraca e moderada em São Paulo e no sul de Minas Gerais. O Inmet mantém ainda o declínio de temperatura do Triângulo Mineiro. De acordo com a previsão, as temperaturas devem começar a subir apenas no domingo, dia 1º. 

Ainda de acordo com a análise internacional, os preços do arábica também estão sendo pressionados por longas pressões de liquidação depois que a ICE Futures na terça-feira aumentou as margens dos futuros do café arábica pela segunda vez em uma semana para US $ 9.000 por contrato de US $ 7.500, o que deve desencorajar as posições especulativas.

A volatilidade climática já era esperada por analistas no Brasil, apesar do setor estar apreensivo com a entrada de uma nova frente fria no parque cafeeiro. 

Na Bolsa de Londres, o café conilon acompanhou a desvalorização. Setembro/21 teve queda de US$ 45 por tonelada, valendo US$ 1885, novembro/21 teve baixa de US$ 43 por tonelada, cotado por US$ 1900, janeiro/22 teve recuo de US$ 42 por tonelada, valendo US$ 1885 e março/22 teve baixa de US$ 40 por tonelada, valendo US$ 1872.

No Brasil, o mercado físico teve um dia de queda nas principais praças de comercialização do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve queda de 1,86% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 1.057,00, Araguarí/MG teve queda de 4,55%, cotado a R$ 1.050,00, Campos Gerais/MG teve baixa de 1,86%, valendo R$ 1.057,00, Franca/SP teve queda de 4,55%, valendo R$ 1.050,00. 


O café tipo cereja descascado teve queda de 1,77% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 1.110,00, Campos Gerais/MG teve baixa de 1,76%, valendo R$ 1.117,00. Varginha/MG manteve a estabilidiade por R$ 1.170,00 e Patrocínio/MG manteve por R$ 1.165,00.
 

Tags:
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário