Café tem dia de volatilidade e encerra com valorização técnica nas bolsas de NY e Londres

Publicado em 15/12/2021 17:19 e atualizado em 15/12/2021 17:54 239 exibições

Logotipo Notícias Agrícolas

Depois de apresentar bastante volatilidade durante o pregão, o mercado futuro do café arábica encerrou as cotações desta quarta-feira (15) com valorização técnica para os principais contratos na Bolsa de Nova York (ICE Future US).  A preocupação com a oferta de café continua sustentando os preços. 

Março/22 teve alta de 15 pontos, negociado por 237,30, maio/22 teve alta de 40 pontos, negociado por 237,50 cents/lbp, julho/22 teve alta de 50 pontos, negociado por 237 cents/lbp e setembro/22 encerrou com alta de 80 pontos, negociado por 235,70 cents/lbp. 

A análise internacional do site Barchart voltou a destacar as preocupações com a produção da Colômbia, segundo maior produtor de café arábica do mundo. "O CEO da Federação Nacional de Cafeicultores da Colômbia disse na terça-feira que a produção de café colombiana em 2022 pode cair -7,1/%, depois que fortes chuvas danificaram as safras", afirma. 

As preocupações com a produção do Vietnã seguem no radar do mercado, apesar da colheita avançando no maior produtor de café tipo conilon do mundo. A preocupação do país asiático é em relação ao envelhicimento do parque cafeeiro, que vem afetando a produtividade do conilon nas principais áreas de produção do país. 

No Brasil, as previsões mais recentes do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) sinalizam para bastante chuva nos próximos dias nas áreas de café tipo arábica. No começo desta semana as cotações voltaram a subir com suporte nas chuvas abaixo da média. Além disso, o setor torce para que as chuvas continuem regulares no mês que vem, fase de enchimento de grãos da safra 22.  

Na Bolsa de Londres, o café tipo conilon teve um dia de poucas variações. Março/22 teve alta de US$ 6 por tonelada, valendo US$ 2303, maio/22 teve valorização de US$ 5 por tonelada, cotado a US$ 2264, julho/22 registrou alta de US$ 11 por tonelada, valendo US$ 2257 e setembro/22 teve alta de US$ 15 por tonelada, negocido por US$ 2264. 

No Brasil, o dia foi marcado por estabilidade nas principais praças de comercialização do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 0,27%, negociado por R$ 1.480,00 em Guaxupé/MG, Poços de Caldas/MG teve alta de 0,34%, valendo R$ 1.465,00, Araguarí/MG teve alta de 0,68%, valendo R$ 1.470,00 e Franca/SP teve alta de 0,67%, valendo R$ 1.510,00. Patrocínio/MG manteve estabilidade por R$ 1.485,00, Varginha/MG por R$ 1.530,00 e Campos Gerais/MG manteve a negocição por R$ 1.468,00. 

O tipo cereja descascado teve alta de 0,96% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 1.583,00, Poços de Caldas/MG teve alta de 0,32%, valendo R$ 1.555,00. Patrocínio/MG manteve a estabilidade por R$ 1.525,00, Varginha/MG por R$ 1.600,00 e Campos Gerais/MG por R$ 1.528,00. 

>>> Veja mais cotações aqui

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário