Café tem mais um dia de nervosismo com baixa dos estoques e encerra com 4,82% de alta

Publicado em 29/06/2022 17:49
Certificados na ICE registram menor volume dos últimos 22 anos

Logotipo Notícias Agrícolas

Em dia marcado por forte queda nos estoques certificados da ICE, o mercado futuro do café arábica avançou mais de mil pontos no pregão desta quarta-feira (29) na Bolsa de Nova York (ICE Future US). 

Setembro/22 teve alta de 1050 pontos, negociado por 228,25 cents/lbp, dezembro/22 teve alta de 970 pontos, cotado por 225,35 cents/lbp, março/23 teve valorização de 905 pontos, valendo 222,55 cents/lbp e maio/23 teve alta de 880 pontos, valendo 220,90 cents/lbp. 

Desta vez, a ICE atingiu o menor índice dos últimos 22 anos, ficando abaixo de um milhão de sacas com 925.536 mil. Mais do que um indicativo de demanda aquecida, o mercado continua reagindo à preocupação com a oferta mais restrita do Brasil que avança a passos lentos com a colheita da produção de 2022. 

Para o analista de mercado, Haroldo Bonfá - da Pharos Consultoria, o mercado segue nervoso e sem direção. São muitas variáveis influenciando as cotações e a orientação é que o produtor continue fechando negócios dia após dia, com cautela para não perder as oportunidades que surgirem diante da volatilidade constante. 

O início desta semana foi marcado pela queda sequencial dos estoques, mas o mercado reagiu apenas nesta quarta-feira quando o volume atingiu os níveis mais baixos. As cotações avançaram mais de mil pontos na Bolsa de Nova York, chegando a ter negociação acima de 230 cents/lbp durante o pregão. 

Na Bolsa de Londres, o café tipo conilon acompanhou e também encerrou com valorização. Setembro/22 teve alta de US$ 32 por tonelada, negociado por US$ 2049, novembro/22 teve valorização de US$ 29 por tonelada, cotado por US$ 2044, janeiro/23 teve alta de US$ 22 por tonelada, negociado por US$ 2032 e março/23 teve valorização de US$ 16 por tonelada, valendo US$ 2024. 

"Os preços do café são apoiados pelo ritmo lento da colheita de café do Brasil depois que a Safras & Mercado informou na quinta-feira passada que a colheita de café 2022/23 do Brasil estava apenas 35% concluída em 21 de junho, abaixo da média de 5 anos de 44%", complementa a análise internacional do site Barchart. 

No Brasil, o mercado físico acompanhou e também encerrou com valorização nas principais praças de comercialização do país. 

O tipo 6 bebida dura bica corrida teve alta de 3,76% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 1.380,00, Poços de Caldas/MG teve alta de 1,52%, negociado por R$ 1.340,00, Varginha/MG teve alta de 3,73%, valendo R$ 1.390,00, Campos Gerais/MG registrou alta de 3,65%, cotado por R$ 1.420,00 e Franca/SP teve alta de 3,70%, valendo R$ 1.400,00. 

O tipo cereja descascado teve alta de 3,56% em Guaxupé/MG, negociado por R$ 1.455,00, Poços de Caldas/MG teve alta de 1,40%, negociado por R$ 1.450,00, Varginha/MG teve valorização de 3,57%, cotado por R$ 1.450,00 e Campos Gerais/MG teve alta de 3,50%, negociado por R$ 1.480,00. 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário