Minas Gerais e Ivinhema compartilham tecnologia do café

Publicado em 13/05/2010 08:46 547 exibições
De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), a previsão é que neste ano de 2010 o consumo de café no Brasil deverá aumentar 5%, o que corresponde a 19,31 milhões de sacas de 60 quilos. O país é o segundo maior consumidor mundial atrás dos Estados Unidos.

E já pensando nesta perspectiva o prefeito de Ivinhema, Renato Câmara e mais 42 cafeicultores do Município fizeram uma visita técnica a cidade de Patrocínio, no Estado de Minas Gerais. Essa viagem teve como finalidade a busca de conhecimento e informações sobre os modernos sistemas de produção utilizados nessa região mineira – já que MG é considerado o maior produtor de café do país.

Somente no Município de Patrocínio, atualmente são 24 mil hectares dessa planta e sua produção é exportada para 10 países, entre eles, Japão, Argentina e alguns países da Europa.

O Município de Ivinhema é considerado o maior produtor do Estado de Mato Grosso do Sul. De acordo com dados da Agraer, está previsto para este ano, a produção de 948 toneladas. A intenção dos produtores do Vale do Ivinhema é aumentar ainda mais esse número e para isso as associações dos cafeicultores estão em busca de técnicas mais modernas para ampliar sua produção como a mecanização da colheita e dos tratos culturais, que já é adotado em Patrocínio.

“Este método oferece condições de aumentar a escala de produção, proporcionando ao produtor condições de diversificar sua atividade, pois vai possibilitar o cultivo de outras culturas concomitantemente como a produção de goiaba, pepino, urucum , leite, mandioca e outros”, destaca o prefeito Renato Câmara.

Para ele, esse é o primeiro passo em direção à modernização da cafeicultura e que vai abrir novas oportunidades para o fortalecimento da agricultura familiar no Município.

Sérgio Marcon foi um dos agricultores de Ivinhema que acompanhou a excursão. E segundo ele, essa visita tem um papel fundamental. “Sempre é bom ver coisas diferentes e aprender novas técnicas para usar em nosso dia-a-dia”.

De acordo com o coordenador técnico da Agraer do município, José Simeão do Nascimento Filho, ações como esta contribuem de maneira significativa. “Muitas vezes o produtor quando vê na prática como funciona um determinado sistema de produção fica mais fácil de absorver o conhecimento”.

Tags:
Fonte:
MS Notícias

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário