Conab inicia levantamento de estoques privados de café

Publicado em 15/04/2011 16:56 511 exibições
A Conab deu início à pesquisa para consolidação dos números da posição dos estoques brasileiros de café, em poder da iniciativa privada. Esta variável é importante para compor o quadro do balanço de oferta e demanda do produto no país, que serve de subsídio às políticas governamentais para o setor cafeeiro e para o abastecimento interno. Realizada anualmente, a pesquisa deste ano apontará o estoque final da safra 2010/2011.
Entre as instituições a serem pesquisadas estão armazenistas, produtores, cooperativas, exportadores e indústrias de torrefação, moagem e de solúveis. A operação ocorre por meio do envio de boletins de levantamento dos estoques, que já foram distribuídos aos armazenadores em todo o Brasil. O prazo para a resposta é até o dia 29 deste mês. Os volumes devem ser informados por unidade armazenadora, cadastrada ou não na Conab. A consolidação dos dados, as verificações “in loco”, por amostragem, e os procedimentos de validação serão realizados nos meses de maio e junho. A divulgação do resultado está prevista para julho deste ano.
No levantamento de 2010, a Conab apurou o volume de 8,943 milhões de sacas, com predomínio do café arábica, correspondente a 8,26 milhões de sacas (92,3% do total). Minas Gerais, maior produtor brasileiro do tipo arábica, possuía 73,74% do estoque privado brasileiro do produto, à época da pesquisa. Quanto ao café conilon, este respondeu apenas por 698,7 mil sacas de café, ou seja, 7,7% do total. O maior volume apurado foi para o estado do Espírito Santo, maior produtor deste tipo de café, com estoque de 456,9 mil sacas.
Esta pesquisa é realizada por determinação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e tem o apoio do Conselho Deliberativo de Política Cafeeira (CDPC) e das entidades representativas do café, entre elas a CNA, ABIC, ABICS, CNC, OCB e CECAFE.
Os armazenadores que não receberem os boletins até a terceira semana do mês deverão entrar em contato com a Conab pelo e-mail [email protected].
Tags:
Fonte:
Conab

0 comentário