Contratos do café romperam a barreira dos três dólares/ lb na Bolsa de Nova York

Publicado em 20/04/2011 18:36 680 exibições
A ICE Futures US, a bolsa de Nova Iorque, rompeu hoje, nos contratos de café, a barreira dos três
dólares por libra peso. Este rompimento é um marco, e pode colocar o café em um novo patamar de
preços. É impossível prever o comportamento do mercado de café nas próximas semanas e meses. Os fundamentos são sólidos e os últimos acontecimentos na economia mundial precipitaram a chegada das cotações aos três dólares por libra peso.
O anúncio, na segunda-feira, de que a agência Standard & Poor’s (S&P) reduziu sua perspectiva
para a dívida soberana dos Estados Unidos pela primeira vez desde que começou a classificar a dívida
americana, há 70 anos, levou, em um primeiro momento, a um mau humor dos operadores e a uma queda generalizada das bolsas ao redor do mundo. As cotações do café acompanharam, fechando a segundafeira em baixa. Depois, em uma análise mais fria, houve uma corrida para mercadorias e tivemos fortes altas nas cotações do café ontem e hoje, dia 20, que levaram ao rompimento da barreira dos três dólares em Nova Iorque.
Amanhã, dia 21 de abril, teremos feriado nacional em homenagem a Tiradentes. Na sexta-feira
será feriado religioso nacional e assim só na próxima segunda-feira poderemos ter uma visão melhor das cotações do café no mercado físico brasileiro. Esta semana o mercado físico apresentou-se firme,
principalmente ontem e hoje, com procura para todos os tipos de café.
É praticamente um consenso no mercado a opinião que os estoques brasileiros de café são os
menores da história. Os operadores tentam chegar a um número para este estoque. Ainda hoje uma grande cooperativa mineira, a Cocatrel – Cooperativa dos Cafeicultores de Três Pontas, informou que seu estoque é extremamente baixo, cerca de 100 mil sacas. Historicamente, a cooperativa começa a nova safra já tendo em seus armazéns de 500 a 600 mil sacas (Agência Estado).
Até o dia 20, os embarques de abril estavam em 1.118.446 sacas de café arábica, 222.917 sacas de
café conillon, somando 1.341.363 sacas de café verde, e 114.459 sacas de solúvel, contra 1.241.883 sacas no mesmo dia de março. Até o dia 20, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em abril totalizavam 1.882.315 sacas, contra 1.729.474 sacas no mesmo dia do mês anterior.
A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 15, sexta-feira, até o fechamento de hoje,
quarta-feira, dia 20, subiu nos contratos para entrega em maio próximo, 630 pontos ou US$ 8,33 (R$
13,07) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em maio próximo na ICE fecharam no dia 15 a R$ 601,37/saca e hoje, dia 15, a R$ 611,02/saca. Hoje, quarta-feira, nos contratos para entrega em maio, a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 320 pontos. No mercado firme de hoje, são as seguintes as cotações por saca, para os cafés verdes, do tipo 6 para melhor, safra 2010/2011, condição porta de armazém:
R$570/580,00 - FINOS A EXTRAFINOS – MOGIANA E MINAS.
R$530/560,00 - BOA QUALIDADE – DUROS, BEM PREPARADOS.
R$480/500,00 - DUROS COM XÍCARAS MAIS FRACAS.
R$370/450,00 - RIADOS.
R$300/320,00 - RIO.
R$280/300,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: DURA.
R$260/270,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: RIADAS.
Os cafés cereja descascado (CD) valem R$570,00/590,00 por saca.
DÓLAR COMERCIAL DE QUARTA-FEIRA: R$ 1,5700 PARA COMPRA.
Tags:
Fonte:
Escritório Carvalhaes

0 comentário