Do pé à xícara: Café brasileiro conquista mercado europeu

Publicado em 28/07/2011 08:27 e atualizado em 01/08/2011 12:20 922 exibições
Cafeóloga da exclusiva rede francesa Hediard vem ao Brasil para fechar contrato de longo prazo com o Café Serra da Grama.
A caféologa  Eda Freitas,  brasileira que vive na França contratada pela boutique de alimentos francesa Hediard, está em São Paulo para incluir o Café Serra da Grama, da cidade de S. Sebastião da Grama, como um integrante dos produtos da exclusiva rede de alimentos finos como um café de “prestígio e exclusividade”.

Ser vendido nas lojas da Hediard com sua marca brasileira dará ao Café Serra da Grama uma visibilidade internacional alcançada por poucos. Até agosto o Café será enviado para as lojas de Paris, Moscou, Tóquio e Jakarta.

-- “Nossos produtos são para um público exclusivo, por isso oferecemos um diferencial de preço ao produtor", diz a representante da rede francesa....

A colheita do exclusivo talhão da Fazenda São Gabriel, (“plantation exclusive pour Hediard”), localizada em S. Sebastião da Grama, na divisa entre S. Paulo com o Sul de Minas (num dos mais perfeitos terroirs de café do mundo, onde a temperatura média nos 1.200 metros de altitude é de 20°C), já foi encerrada. O café da espécie Arábica, variedade Bourbon Amarelo, será vendido pela Hediard em pacotes de 125 gramas, moído na hora, ao custo de  35 ou 40€.

As características destacadas na embalagem serão: a marca Serra da Grama, origem Brasil, grãos rigorosamente selecionados e torrados por métodos tradicionais, processo lento para preservar as notas caramelizadas e ligeiro sabor ácido. São esses detalhes, como explica  Chistian Santiago, responsável pelo programa de exportação de cafés especiais do Brasil da ABIC, desde as mudas até a secagem, é que agregam a excelência na qualidade final.

Esta exceção aos padrões de comercialização da Hediard, que importa produtos de diversos países do mundo, embalando-os com sua própria marca, se deve ao sucesso que o Café Serra da Grama alcançou ao ser vendido pela principal loja da rede, a da Place de La Madeleine, na comemoração de seus 140 anos.

Mercado de luxo no mundo

O presidente da ABIC, Américo Sato, conta que parceria começou durante o evento promovido pela Apex. O café produzido em S. Sebastião da Grama foi um dos produtos escolhidos para a comemoração de 140 anos dessa boutique de alimentos.

--  Em 2005 teve o ano do Brasil na França, uma homenagem que fizeram aos brasileiros, e fomos procurados pela Apex, Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos, e ela queria um café de cada região brasileira para participar desses eventos na França. Do Estado de São Paulo  a Abic apresentou os produtos e o café de São  Sebastião da Grama foi o  escolhido.

A fazenda São Gabriel é centenária e a propriedade está com a família de Mariângela Taramelli Francisco desde 1968, que conta como descobriram a região poderia dar um café com tanta qualidade:  “nossa cidade é uma referência de cafés de qualidade, e meu pai era comprador de café, ele intermediava os produtores e as exportadoras. Na época de 1968 ele resolveu investir realmente na produção e começou a comprar pedaços de terra..., primeiro comprou um sítio de 24 alqueires, escolhido a dedo e formou a fazenda a partir desse sítio.

O ganho de qualidade, segundo Mariângela, decorre do "terroir" do café, um pedaço de terra onde tem a melhor condição para produção de alguma planta, aqui no caso, do café. E é considerado um "terroir" porque estamos a mais de 1.000 metros de altitude. Existe um estudo de 30 anos do Instituto Agronômico, que viu que aqui não tem déficit hídrico, a temperatura média anual é 20º, então é um lugar propício para o café. Por mais que esteja calor durante o dia  de noite a temperatura cai bruscamente, então essa oscilação o da temperatura é uma coisa saudável para a lavoura.

A produtora conta a boutique de alimentos francesa está completando 140 anos e que eles resolveram comemorar essa data escolhendo no mundo 40 produtos que eles classifcam excepcionais, entre frutas, doces, geléias, vinhos, queijos. No caso do café, eles entraram em contato conosco e disseram que estavam em busca de um café bourbon amarelo que tivesse uma história e que para eles fosse excepcional.

--" Mandei amostras de café verde, torrado e moído, foi um trabalho delicado, de Março até Agosto, eles pediram para delimitar a área de exclusividade deles, coloquei até uma placa para isso, e foram acompanhando tudo. Em Agosto eles avisaram que dos cafés que tinham sido selecionados, nós tinhamos sido escolhidos e eles precisariam da história da minha família. Contei para eles que sou neta de imigrantes italianos, que meu avô trabalhou na lavoura do café e meu pai também colheu café quando menino. É claro que a escolha nos deixou muito honrados...".

Clique aqui para ampliar!

Equipe Café Serra da Grama: Nathan Herszkowicz (ABIC), Américo Sato (ABIC), Eda  Freitas (Hediard), Chistian Santiago (ABIC), Mariagela Taramelli (propr. Café Serra da Grama), Francisco Dagmar Cupaiolo (Sindicato das industrias do cafe de SP).
Clique aqui para ampliar!

Tags:
Por:
Valéria Vilela
Fonte:
Café Serra da Grama

0 comentário