Mais uma semana positiva para as cotações do suíno vivo

Publicado em 06/12/2016 06:59
54 exibições

Suíno Vivo: Mercado inicia semana com altas em SP, SC e RS nesta 2ª feira

Por Sandy Quintans

O mercado de suíno vivo inicia a semana em alta nesta segunda-feira (05). As regiões de São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul sinalizaram ajuste positivo de preços para os próximos dias, dando continuidade ao movimento de valorização das últimas semanas. Segundo analistas, as altas estão associadas a demanda de festas de final de ano.

Em São Paulo, a bolsa de suínos fechou entre R$ 85,00 a R$ 87,00/@ (o mesmo que R$ 4,59 a R$ 4,69 pelo quilo do vivo). Segundo informações reportadas pela APCS (Associação Paulista de Criadores de Suínos), o cenário é de realinhamento de preços e novas altas podem ser registradas ainda nos próximos dias. Além disto, a carcaça suína está cotada entre R$ 7,00/Kg a R$ 7,10/Kg na região de Campinas (SP).

A pesquisa semanal da ACSURS (Associação dos Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul) mostra que a média estadual também registrou alta de R$ 0,10, fechando a referência em R$ 4,10 pelo quilo do vivo aos suinocultores independentes. A cotação aos produtores integrados segue em R$ 2,97 pelo quilo do vivo já há três semanas.

Em Santa Catarina, a alta registrada foi de R$ 0,10 nos preços praticados, passando a referência de negócios definida pela bolsa de suínos para R$ 4,10 pelo quilo do vivo. O presidente da ACCS (Associação Catarinense de Criadores de Suínos), Losivanio de Lorenzi, explica que além da alta, os custos de produção também tiveram algum alívio com o recuo dos preços do milho.

“Os produtores estão conseguindo comprar a saca de milho nas regiões Oeste e Meio-Oeste entre R$ 41 e R$ 42 posto na propriedade. A tonelada da soja está sendo comercializada a R$ 1.090,00. Esses fatores mostram a diminuição dos custos de produção. Contudo, o preço do quilo do suíno no mercado integrado ainda esta entre R$ 2,90 e R$ 3. No mercado independente tivemos uma ligeira melhora de R$ 0,10”, explica o presidente catarinense.

O analista da Safras & Mercado, Allan Maia, aponta que o mercado segue em recuperação e que a tendência para os próximos dia é de alta nas cotações.  “Os frigoríficos relatam que há uma expectativa de resultados ainda melhores em dezembro, mês caracterizado por um consumo aquecido devido às festividades de final de ano”, sinaliza.

Boi Gordo: Mercado pouco movimentado e com referência estável em SP em R$ 150,00/@

Por Scot Consultoria

O início da semana é marcado pela lenta movimentação dos frigoríficos, que aguardam para se posicionar no mercado. 

Na maioria das praças pesquisadas pela Scot Consultoria, os preços estão estáveis, com mudanças em apenas oito das trinta e duas praças, onde foram observadas quedas.

Ainda é possível notar que frigoríficos que trabalham com contratos estão com escalas alongadas, em alguns casos, fechadas até o fim do ano. 

Do outro lado, as empresas que não trabalham com compras a termo estão com escalas mais apertadas, com casos em que as programações atendem de dois a três dias úteis. 

Em São Paulo, a referência está estável em R$ 150,00/@, à vista. 

Mercado atacadista da carne bovina com osso sem novidades, com o boi casado capão cotado em R$ 9,64/kg.

Frango Vivo: Mesmo com virada do mês, cotações seguem estáveis nesta 2ª feira

Por Sandy Quintans

Nesta segunda-feira (05), os preços para o frango vivo voltaram a registrar estabilidade. Em São Paulo, a referência segue em R$ 3,10 pelo quilo do vivo, enquanto que em Minas Gerais os negócios ocorrem em R$ 3,30 por quilo. Apesar da entrada do mês, quando a demanda é mais aquecida, os preços continuam sem registrar reação. 

O analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, explica que em dezembro o mercado registrou desempenho abaixo ao esperado, por ser um período de aquecimento nas vendas com as festas de final de ano. Com isso, avicultores contam com o recuo dos preços do milho para recuperarem margens. 

“O alento é que o preço do milho vem indicando queda nas últimas semanas, ajudando a reduzir a pressão de custos e trazendo uma melhor margem de lucratividade aos produtores. Hoje o custo médio de produção do frango vivo em São Paulo gira ao redor de R$ 2,55”, comenta. Apesar disto, algumas regiões ainda trabalham abaixo do custo de produção. 

A Scot Consultoria explica que as cotações nas granjas paulistas seguem estáveis há treze semanas, enquanto que no atacado o cenário ainda é de lentidão. "Os preços tiveram retração no período, os compradores postergaram seus pedidos aguardando uma melhor movimentação do mercado", aponta o boletim. 

Tags:
Fonte: Notícias Agrícolas + Scot

0 comentário