Cotações do suíno vivo tem alta na semana; Boi gordo e frango vivo com pressão baixista

Publicado em 24/01/2017 07:12 e atualizado em 25/01/2017 03:15
131 exibições

Boi Gordo: Demanda enfraquecida colabora para quedas nos preços

Por Scot Consultoria

Baixa movimentação no mercado do boi gordo nesta segunda-feira. Alguns frigoríficos estão fora das compras, fator que colabora para este cenário.

Em São Paulo, as tentativas de compra por preços menores estão cada vez mais comuns o que resultou em queda nas duas praças pesquisadas. A nova referência para o estado, R$ 1,00/@ abaixo do fechamento da semana anterior, ainda é de R$ 2,00 a R$ 3,00 por arroba maior do que as ofertas de alguns compradores. Nestes casos, porém, os negócios não evoluem.

Este cenário, de tentativas de compra em preços menores, é observado na maioria das regiões pesquidas. Além de São Paulo, ocorreram quedas no Triângulo Mineiro-MG, em Paragominas-PA e no Norte do Tocantins.

No mercado atacadista de carne com osso, os preços estão estáveis. O boi casado de animais castrados está cotado em R$ 9,41/kg. Ainda faltam duas semanas para o pagamento de salários, o que indica que o cenário para incremento de vendas não é dos melhores e não deve ajudar o mercado do boi gordo.

Semana começa positiva para o mercado de suínos vivos

Por Larissa Albuquerque

As cotações do suíno exibem recuperação no início desta semana. Como já era esperado pelo setor, após o aumento na procura por animais dos últimos dias, algumas praças já indicaram valorização nesta segunda-feira (23).

Em Santa Catarina a bolsa de suínos apresentou alta de R$ 0,20 em relação a semana passada e foi fechada a R$ 3,90. Segundo o presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio Luiz de Lorenzi, a procura por suínos é grande em todas as regiões do Estado, uma vez que o peso dos animais está baixo, retraindo a oferta de animais ao mercado.

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, Lorenzi explicou que houve um aumento no peso dos animais nos últimos dias. "O produtor deixa de entregar aquele volume todo de animal para colocar mais peso, reduzindo a disponibilidade de animais no mercado", diz.

Outro estado em alta nesta segunda é o Rio Grande do Sul. A pesquisa semanal de preço relatou alta de R$ 0,07 no quilo do animal vivo, deixando a referência em R$ 3,97/kg.

No final da última semana a a APCS (Associação Paulista dos Criadores de Suínos) também indicou sinais de mudanças no mercado de suíno vivo. Na sexta (20) a cotação fechou com alta de 1,22%, sendo cotada a R$ 4,16/kg

"As informações que chegam nessa sexta, apontam na redução da oferta de animais vivos, inclusive sinalizando peso dos animais abaixo da média. No sul do país, as agroindústrias estão iniciando o preparo de cortes para exportação, impactando diretamente na oferta de vivos para a região Sudeste", acrescenta a população.

Somente no Mato Grosso o preço caiu 8,97% com referência de R$ 3,35/kg nesta semana.

Frango vivo: Excesso de oferta pressiona cotações

Por Larissa Albuquerque

As cotações do frango vivo no mercado independente fecharam estáveis nesta segunda-feira (23). A dificuldade no escoamento na ponta final da cadeia vêm se prolongando, com isso, as ofertas se tornaram excessivas, refletindo nas cotações.

No sábado (21) o mercado paulista registrou nova queda de R$ 0,05, sendo cotado a R$ 2,50/kg. Segundo levantamento da Scot Consultoria, a ave apresenta queda de 7,4% nos últimos sete dias. Em Minas Gerais o mercado segue estável em R$ 2,65/kg.

>> OMS pede que países intensifiquem monitoramento de gripe aviária

De acordo com o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Iglesias, não há perspectivas de alterações deste quadro no curto prazo, uma vez que a exportação de carne de frango segue aquém dos volumes necessários para trazer um maior equilíbrio de oferta.

Os preços dos cortes de frango também registraram fortes alterações ao longo da semana em São Paulo. Segundo a Scot, no atacado o recuo na semana foi de 2,5% e a carcaça de frango tem sido comercializada, em média, por R$3,53/kg.

Tags:
Fonte: Notícias Agrícolas + Scot

0 comentário