JBS em São Miguel do Guaporé (RO) segue fechada, após audiência sem acordo com a Justiça

Publicado em 29/05/2020 12:40 e atualizado em 29/05/2020 14:36 339 exibições
Empresa, TRT-RO, Ministério Público e Ministério Público do Trabalho não entraram em acordo, mas partes devem seguir dialogando para tentar conciliação

LOGO nalogo

Interditada desde quinta-feira (28) pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Rondônia, a unidade processadora de bovinos da JBS em São Miguel do Guaporé segue sem acordo com a Justiça, após primeira audiência realizada ainda na quinta-feira. De acordo com o TRT-RO, foram quatro horas de negociação entre o órgão, a empresa, Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério Público (MP) do Estado. 

Na audiência conduzida pelo juiz Wadler Ferreira, as partes não chegaram no consenso em pontos cruciais como o distanciamento entre trabalhadores, o risco de contágio e propagação entre os colaboradores quanto ao vírus, o padrão e a realização das testagens dos funcionários, o uso de máscaras apropriadas e as medidas de busca ativa.

Durante o debate, MPT e MP ressaltaram que, além da testagem de todos os trabalhadores, que teve a concordância da empresa, que o retorno das atividades da empresa só ocorra com o deferimento dos demais pedidos na tutela de urgência que no dia anterior fechou a unidade produtiva.

>> Leia mais: Covid-19: Justiça do Trabalho interdita temporariamente JBS em São Miguel do Guaporé (RO)

Quando da decisão da interdição pelo TRT-RO, o órgão informou que 60% dos casos de coronavírus do Município estão ligados ao frigorífico, e que a decisão judicial obriga a empresa a testar todos os funcionários para a doença. Os exames para os funcionários deverão ser custeados pela empresa, e em caso de descumprimento, haverá multa de R$ 500 mil por dia. 

A JBS requeriu na audiência que se abra prazo para que na empresa comprove que cumpre o protocolo legal de exigências para os frigoríficos e que o juiz analise os demais pedidos dos autores apenas após a empresa apresentar a sua defesa.

O juiz Ferreira solicitou que as partes continuem as conversas iniciadas, mesmo na constância do processo, para a composição de um possível acordo com vistas ao encerramento da ação e o retorno das atividades produtivas na empresa.

O QUE DIZ A JBS

"A JBS não comenta sobre processos judiciais em andamento. A Companhia reitera que tem como objetivo prioritário a saúde de seus colaboradores e ressalta que desde o início dessa pandemia tem adotado um rígido protocolo de prevenção contra a Covid-19 na sua unidade de São Miguel do Guaporé (RO) e em todas as suas plantas no Brasil, conforme as orientações dos órgãos de saúde e do Hospital Albert Einstein, além de especialistas médicos contratados pela Companhia para apoiar na implantação rigorosa de medidas para a proteção de seus colaboradores.
Entre as ações adotadas pela Companhia, estão:

-  afastamento de pessoas que fazem parte do grupo de risco como maiores de 60 anos, gestantes e todos os que tiveram recomendação médica;
-  ampliação da frota de transporte;
-  desinfecção diária das unidades;
-  medição de temperatura de todos antes do acesso às fábricas;
-  vacinação contra gripe H1N1 para 100% dos colaboradores;
-  ações de distanciamento social;
-  forte comunicação de prevenção e cuidados, entre outras.
Todas as medidas adotadas pela JBS estão a de acordo com os mais altos padrões. Saiba mais sobre as medidas de saúde e segurança adotadas pela JBS: https://jbs.com.br/comunicacao/covid-19-principais-medidas-de-protecao/"

 

 

Tags:
Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário