Brasil enviará delegação a Moscou para discutir proibição à carne

Publicado em 02/06/2011 09:19 e atualizado em 02/06/2011 17:41 2329 exibições
Com informações da EFE e Valor Econômico.
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento confirmou a informação do bloqueio da Rússia às importações de carne de 85 empresas brasileiras. Ainda hoje, o Mapa deve divulgar uma nota oficial informando seu posicionamento sobre o embargo.

De acordo com o diretor de Relações com Investidores do Frigorífico Minerva, Eduardo Takeiti, informou que o grupo ficou fora do bloqueio.

"A companhia (Minerva) não opera nos Estados embargados. No fim, a notícia se mostra positiva para nós, já que pode ser uma oportunidade de aumentarmos nossa participação de mercado nas exportações para aquele país. Mesmo se fôssemos atingidos (pelas restrições), temos bastante flexibilidade para atender o mercado de outras unidades", disse Takeiti.

Entre as empresas que sofreram com a proibição estão unidadades da Brasil Foods, JBS, Marfrig, Aurora e Doux Frangosul.

Uma missão do Ministério de Agricultura vai a Moscou na segunda quinzena para discutir com autoridades russas a proibição a entrada de carnes brasileiras originárias dos Estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso, segundo informação da embaixada brasileira na capital russa.

O anúncio da interdição foi feito hoje pelo governo russo. Atinge a entrada de carnes de 85 frigoríficos e entrará em vigor no dia 15. Segundo a embaixada, durante a visita do vice-presidente Michel Temer a Moscou, o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Francisco Jardim, já tinha tratado das questões sanitárias relacionadas ao acesso das carnes brasileiras com seu colega russo Serguei Dankvert.

Ocorre que a medida anunciada hoje por Moscou é considerada exagerada e alimenta a especulação de que poderia ser uma reação irritada à ausência de progressos para o Brasil dar o sinal verde a entrada da Rússia na Organização Mundial do Comércio (OMC).

Os russos querem entrar na OMC até o fim do ano, apos mais de dez anos de negociações, mas precisam anter fazer concessões não só ao Brasil, como a outros produtores agrícolas como Argentina, Austrália, Canadá, e também aos EUA e União Europeia.

A embaixada brasileira em Moscou diz não ver, porém, qualquer vinculação entre as tratativas mantidas com as autoridades russas em Moscou sobre as condições sanitárias de acesso do mercado russo e as negociações em Genebra de acessão da Rússia à OMC.

Embargo russo afeta 3 unidades da JBS, mas empresa seguirá exportando

Três unidades da JBS foram afetadas pela decisão da Rússia de proibir a importação de proteína animal advinda dos Estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso.

A empresa vai prosseguir com suas exportações para Rússia por meio de oito fábricas no Brasil nas regiões fora do embargo, "além da sua plataforma de produção existente fora do país".

"A companhia acredita que as autoridades dos dois países trabalharão de forma conjunta para solucionar as eventuais pendências causadoras do embargo em um curto espaço de tempo", manifestou na nota.

Matéria do Valor desta quinta-feira dá conta que o Brasil vai enviar uma missão à Rússia para discutir a questão da proibição da carne brasileira dos três Estados.

Rússia proíbe importações de carne de 89 empresas brasileiras

A Rússia anunciou nesta quinta-feira que a partir do próximo dia 15 estarão proibidas as importações de carne e produtos de carnes de 89 empresas de três estados brasileiros: Mato Grosso, Rio Grande do Sul e Paraná.

"Com esta decisão, expressamos nossa desconfiança com relação aos serviços veterinários destes estados, que não puderam garantir o cumprimento dos requisitos", afirmou Alexéi Alexéyenko, porta-voz da Inspeção Sanitária Agrícola da Rússia (Isar).

A inspeção realizada este ano no Brasil revelou várias deficiências no funcionamento dos serviços veterinários do país sul-americano, apontou Alexéyenko em declarações à agência Interfax. Da forma como está estabelecido o programa de controle veterinário vigente no Brasil, são poucas as mostras de carne submetidas a testes, pelo que não se pode garantir a qualidade de toda a produção procedente do Brasil, ressaltou.

Além disso, as empresas sancionadas não realizaram nos últimos três anos comprovações da presença de mercúrio, praguicidas e dioxinas em sua produção, explicou o representante da Isar. Alexéyenko acrescentou que mais de 260 carregamentos de carne desses produtores continham parasitas e bactérias de diferentes tipos.

Atualmente, o Brasil é um dos principais provedores de carne à Rússia, com 35% das importações de carne de porco, 45% da bovina e 19% da carne de aves, segundo os dados do Instituto de Marketing Agrícola de Rússia. Antes de a proibição ser ditada, havia 236 empresas brasileiras exportando carne à Rússia.

Veja a abaixo a lista dos frigoríficos que serão impedidos de exportar à Rússia:

1. SIF 2911 BRF BRASIL FOODS S.A.
2. SIF 1886 FRIGORIFICO MATABOI S/A
3. SIF 585 Frigorifico Pantanal LTDA
4. SIF 3962 FRIGORIFICO VALE DO GUAPORE S/A
5. SIF 4268 GUAPORE CARNE S/A
6. SIF 2345 IFC Food Company Industria de Alimentos S/A
7. SIF 42 JBS S/A
8. SIF 2979 JBS S/A
9. SIF 3031 JBS S/A
10. SIF 2019 JBS S/A
11. SIF 1751 Marfrig Alimentos S/A
12. SIF 2500 Marfrig Alimentos S/A
13. SIF 4466 Pantanal Industria e Comercio de Carnes LTDA
14. SIF 4393 QUATRO MARCOS LTDA
15. SIF 2015 SADIA S/A
16. SIF 3348 VALE GRANDE INDUSTRIA E COMERCIO DE ALIMENTOS
S/A
17. SIF 1778 JBS S/A
18. SIF 592 MARGEN S.A.
19. SIF 4365 MFB MARFRIG FRIGORÍFICOS BRASIL S.A.
20. SIF 1163 Torlim Alimentos S/A
21. SIF 1733 FRIGORIFICO SILVA INDUSTRIA E COMERCIO LTDA
22. SIF 1651 Marfrig Alimentos S/A
23. SIF 1926 MFB MARFRIG FRIGORÍFICOS BRASIL S.A.
24. SIF 2007 MFB MARFRIG FRIGORÍFICOS BRASIL S.A.
25. SIF 3941 AGRA AGROINDUSTRIAL DE ALIMENTOS S/A
26. SIF 3551 Intercop Integração dos suinocultores do médio norte
matogrossense Ltda
27. SIF 424 BRF BRASIL FOODS S.A.
28. SIF 3704 Frigorífico Larissa Ltda
29. SIF 119 Kaefer Agroindustrial Ltda
30. SIF 2146 ALIBEM COMERCIAL DE ALIMENTOS LTDA
31. SIF 915 ALIBEM COMERCIAL DE ALIMENTOS LTDA
32. SIF 3975 AVIPAL S/A ALIMENTOS
33. SIF 102 BRF BRASIL FOODS S.A.
34. SIF 760 COOP. REGIONAL CASTILHENSE DE CARNES E
DERIVADOS
35. SIF 3847 COOPERATIVA CENTRAL OESTE CATARINENSE
36. SIF 167 COOPERATIVA DOS SUINOCULTORES DE ENCANTADO
LTDA
37. SIF 1184 COTRIJUÍ - COOPERATIVA AGROPECUARIA &
INDUSTRIAL
38. SIF 876 DOUX FRANGOSUL S/A AGRO AVÍCOLA INDUSTRIAL
39. SIF 12 FRIGORIFICO MABELLA LTDA
40. SIF 60 SADIA S/A
41. SIF 3767 ANHAMBI ALIMENTOS NORTE LTDA
42. SIF 3371 SADIA S/A
43. SIF 1215 Agricola Jandelle S.A.
44. SIF 1880 Avicola Felipe S.F.
45. SIF 3300 C.Vale-Cooperativa Agrondustrial
46. SIF 4444 COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL LAR
47. SIF 797 COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL- COPAGRIL
48. SIF 2913 JAGUAFRANGOS INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE
ALIMENTOS LTDA
49. SIF 1672 KAEFER AGRO INDUSTRIAL LTDA
50. SIF 2518 SADIA S/A
51. SIF 1985 SADIA S/A
52. SIF 4041 AGROSUL AGROAVICOLA INDUSTRIAL S/A
53. SIF 4017 Agrosul Agroavicola Industrial S/A
54. SIF 1449 BRF BRASIL FOODS S.A.
55. SIF 2025 BRF BRASIL FOODS S.A.
56. SIIF 1661 COMPANHIA MINUANO DE ALIMENTOS
57. SIF 959 COMPANHIA MINUANO DE ALIMENTOS
58. SIF 730 COOPERATIVA LANGUIRU LTDA
59. SIF 2032 DOUX FRANGOSUL S/A AGRO AVÍCOLA INDUSTRIAL
60. SIF 922 DOUX FRANGOSUL S/A AGRO AVÍCOLA INDUSTRIAL
61. SIF 437 Frigorifico Mabella Ltda
62. SIF 3169 FRIGORIFICO NICOLINI LTDA
63. SIF 981 FRINAL S/A - FRIGORÍFICO E INTEGRACÃO AVÍCOLA
64. SIF 544 PENASUL ALIMENTOS LTDA
65. SIF 237 PENASUL ALIMENTOS LTDA
66. SIF 103 BRF BRASIL FOODS S.A.
67. SIF 727 Frimesa Cooperativa Cenrtal
68. SIF 928 Sadia S/A
69. SIF 2014 BRF BRASIL FOODS S.A.
70. SIF 1385 CONFEPAR - Agroindustrial Cooperativa Central
71. SIF 242 PERDIGÃO S/A
72. SIF 3254 CAP - LOGÍSTICA FRIGORÍFICADA LTDA
73. SIF 1599 MARTINI MEAT S/A ARMAZENS GERAIS
74. SIF 785 Sadia
75. SIF 1541 TERMINAIS PORTUARIOS DA PONTA DO FELIX S/A
76. MT-80026 Louis Dreyfus Commodities Brasil S. A.
77. MT-80076 Amaggi Exportação e Importação LTDA
78. MT-80031 Amaggi Exportação e Importação LTDA
79. PR-058048 Alltech do Brasil Agroind. LTDA
80. PR-05224 Alltech do Brasil. Agroind. LTDA
81. PR-03962 Insol Intertrading do Brasil LTDA.
82. PR-03857 Louis Dreyfus Commodities Brasil S. A.
83. RS-04206 Alisul Alimentos S.A.
84. RS-10053 Hercosul Alimentos LTDA
85. RS-10413 Nutrire Ind. de Alimentos LTDA

Rússia proíbe produtos de 89 unidades de carnes do Brasil

O governo russo decidiu barrar a compra de produtos de 89 unidades de processamento de carnes do Brasil, medida que surpreendeu representantes do setor no Brasil e agravou a disputa comercial entre os países envolvendo as carnes.

A Rússia embargou a compra de carnes de 23 unidades processadoras do Estado de Mato Grosso, 16 delas produtoras de carne bovina; de 27 do Rio Grande do Sul, das quais 10 produzem carne de frango; e de 39 no Paraná, das quais 16 de carne de frango e 11 de carne suína, disse nesta quinta-feira Alexei Alexeyenko, porta-voz do órgão para segurança alimentar, Rosselkhoznadzor, segundo a agência russa Interfax.

O Ministério da Agricultura brasileiro confirmou o embargo russo e informou que uma equipe técnica está reunida nesta manhã para discutir o assunto. O ministério deve comentar o tema nesta tarde.

A notícia do embargo vem pouco mais de 15 dias depois da visita de uma missão brasileira à Rússia, liderada pelo vice-presidente Michel Temer, que visava justamente reverter às restrições às carnes brasileiras e surpreendeu o setor.

"Estivemos na Rússia há cerca de 15 dias. Não dava para imaginar esta violência... Em nossa última visita, a reunião foi mais política. Agora, o Ministério da Agricultura tem que voltar para tratar a questão técnica, enviar uma missão técnica para a Rússia e esclarecer a situação", disse Pedro de Camargo Neto, presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs).

Camargo Neto não soube precisar o número de unidades que estavam habilitadas, mas acrescentou que diante da ampliação do embargo aos frigoríficos de carne suína do Brasil, restará apenas uma planta habilitada, que fica em Santa Catarina, para exportar ao mercado russo.

Na avaliação do executivo, até 15 de junho, quando entra em vigor o embargo, os embarques devem se acelerar. Camargo Neto ressalva que os embarques neste ano já estavam menores porque eram poucos os frigoríficos habilitados para exportar à Rússia.

Ele afirmou que ainda é cedo para falar em redução dos embarques, mas se a missão do Brasil chegar antes desta data e esclarecer a situação, o impacto deverá ser menor.

A Rússia foi o principal destino das exportações brasileiras de carne suína em 2010, com 43 por cento, ou cerca de 234 mil toneladas, segundo dados compilados pela Abipecs.

FRANGOS

"A notícia do embargo é muito, muito forte e inusitada. Surpreendeu o setor e deixou o ministro (da Agricultura, Wagner Rossi) abismado", afirmou o presidente da União Brasileira de Avicultura (UBABEF), Francisco Turra.

Ele acrescentou que depois da missão brasileira, o aumento da amplitude das restrições russas "é muito estranho e acho até que tem uma conotação política".

Segundo o executivo da Ubabef, que conversou com o ministro da Agricultura nesta manhã, Rossi está reunido com a equipe técnica e já contatou a embaixada brasileira no país.

"Nossa situação não é tão crítica como no setor de carne suína, mas mesmo assim é muito grave", observou Turra. A Ubabef informou que das 62 plantas industriais de carne de frango habilitadas, 25 foram bloqueadas pelo governo russo.

Em 2010, a Rússia importou 144 mil toneladas de carne de frango, sendo o 9o principal destino no período, segundo a Ubabef.

Tags:
Fonte:
EFE/ Valor/ Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Gustavo Henrique da Silva Oliveira Curitiba - PR

    Pois é agora estão aparecendo o que a atual administração do Ministério da Agricultura e Vigilancia Sanitária esta fazendo lá dentro.

    Esso povo só quer saber de ganhar dinheiro, nada de fazer Coisas Concretas.

    QUE SAUDADE DO PRATINI DE MORAES, ROBERTO RODRIGUES, REINHOLD STEPHANES E DO DR. INACIO AFONSO KROETZ na VIGILANCIA SANITÁRIA.

    0