Jarbas Vasconcelos pede projetos de irrigação e políticas de crédito para o semiárido nordestino

Publicado em 22/05/2012 19:26 348 exibições
O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) afirmou nesta terça-feira (22) que a grande região do semiárido nordestino é provavelmente a região mais pobre e sofrida do país. Ele disse que essa região precisa de mais atenção dos governantes, principalmente do governo federal, para que projetos de irrigação e políticas de crédito agrícola possam alavancar seu desenvolvimento.

- O Brasil jamais será um país desenvolvido e justo se continuar deixando o semiárido ao sabor da inevitabilidade da estiagem – disse Jarbas Vasconcelos depois de criticar o “marketing governamental” segundo o qual o Brasil não teria mais problemas.

De acordo com o senador, ainda são poucos e tímidos os projetos do governo em agricultura irrigada no semiárido, o que faz com que a estiagem característica da região continue prejudicando milhões de brasileiros.
- Infelizmente, o passado que não gostamos de enxergar voltou com toda sua força, e a pobreza do semiárido foi exposta, novamente, em toda sua dramaticidade – disse o senador, sobre as recentes notícias de mais um forte período de seca no Nordeste.

Jarbas Vasconcelos afirmou que o semiárido nordestino apresenta taxas de analfabetismo muito maiores que o restante do país e renda e taxa de longevidade das mais baixas do Brasil. De acordo com ele, a taxa de analfabetismo chega a 35% em algumas áreas do semiárido, contra 18,7% no Nordeste em geral e 5,7% no Sudeste. Já a esperança de vida da população do semiárido nordestino é de apenas 56 anos, enquanto a média nacional é de 72 anos.

De acordo com o parlamentar, a agricultura irrigada demonstrou-se atividade econômica eficaz na geração de emprego e renda em diversas regiões áridas e semiáridas do planeta, como no oeste dos Estados Unidos, áreas desérticas da Índia e da China, e também, na Espanha e no Peru.
- No semiárido nordestino, no entanto, a irrigação tem sido historicamente relegada pelos governos, e a consequência dessa omissão é que grande parte da população continua vivendo abaixo da linha de pobreza – declarou.
Tags:
Fonte:
Agência Senado

0 comentário