Metsul: Onda de calor entra em nova fase e ganha força no fim de semana

Publicado em 31/01/2014 15:34 2291 exibições

Por:  Janeiro, 31-01-2014 | 07:31 | Categoria: 

A onda de calor vai entrar em uma “segunda fase” e mais intensa a partir do domingo. As máximas que até agora têm oscilado entre 38ºC e 40ºC passarão a ficar acima dos 40ºC no Rio Grande do Sul. Correntes de vento de Norte trarão ar muito mais quente para o Estado à medida que a grande bolha de ar extremamente quente que vinha atuando até o momento mais no Leste do Sul do Brasil se estabelecer sobre o Centro da América do Sul, cobrindo o Norte da Argentina, o Paraguai, parte do Centro-Oeste, o Sul e o Sudeste do Brasil. Domingo, segunda, terça e quarta devem ser dias de marcas excepcionais de calor no território gaúcho com valores superiores a 40ºC, inclusive na região de Porto Alegre e área metropolitana. O sol vai predominar no período na maior parte do Estado, mas o calor extremo deve gerar temporais isolados (alguns fortes ou até severos com risco de danos), sobretudo da tarde para a noite. Observe nos mapas abaixo com as projeções do modelo europeu de temperatura em 850 hPa (1500 metros de altitude) de hoje até o dia 5/2 (quarta) como o ar já por demais quente deste momento (na cor vermelha) se tornará extremamente quente (em marrom) sobre o Sul do Brasil a partir do domingo.

 

Muita atenção quem tem viagem marcada para o Uruguai. O estabelecimento da bolha de ar quente sobre o Sul do Brasil e o avanço de ar mais frio na Argentina fará com que de domingo até metade da semana que vem haja intensa instabilidade no país vizinho com chuva excessiva que pode atingir de 200 mm a 300 mm em alguns pontos. Haverá ainda o risco de temporais de vento e granizo. São prováveis inundações com transbordamento de rios e arroios no Uruguai com muitos transtornos como bloqueios de rodovias. O mau tempo deve afetar todo o país, inclusive Montevidéu, e pode alcançar em alguns momentos a parte mais Sul e Sudoeste do Rio Grande do Sul. Os mais recentes dados indicam que o tão esperado alívio do calor poderia vir durante a quinta-feira com chuva ampla e ainda a possibilidade de temporais no Rio Grande do Sul.

Metsul: A mais intensa e duradoura onda de calor chega ao seu quarto dia

Por:  Janeiro, 30-01-2014 | 09:03 | Categoria: 

 

A onda de calor que promete ser muito longa e histórica, potencialmente a mais intensa e ao mesmo tempo duradoura já registrada no Estado na história recente, entra hoje no seu quarto dia no Rio Grande do Sul. O sol aparece com nuvens hoje na maioria das regiões gaúchas, mas com maior nebulosidade no Sul e parte do Oeste, onde mais uma vez chove a qualquer hora do dia e com alto risco de pancadas fortes e temporais isolados. Nas demais regiões, pancadas isoladas mais da tarde para a noite com eventuais temporais localizados. O calor, de novo, é mais intenso na região do vales e na Grande Porto Alegre com máximas entre 38ºC a 40ºC, mas que podem ser menores do que ontem em alguns locais. Na quarta-feira, as máximas foram a 40,2ºC na estação do Metroclima da zona Norte de Porto Alegre, 40ºC na Base Aérea de Canoas, 39,7ºC em São Leopoldo, 39,6ºC em Campo Bom, 39,1ºC em Teutônia, 38,9ºC em Santa Cruz do Sul e 38,4ºC em Lajeado. Na estação de referência climatológica histórica da Capital, instalada no Jardim Botânico, a máxima ontem de 38,2ºC foi a segunda mais alta em janeiro neste século, igualando o registro de 8 de janeiro de 2006 e só atrás dos 39,2ºC de 9 de janeiro de 2005.

 

O avanço de instabilidade do Uruguai para o Rio Grande do Sul sob uma atmosfera extremamente aquecida gerou temporais em pontos do Sul do Estado ontem, como na praia do Cassino (foto espetacular acima de Diego Faria Balinhas). A estação automática de Rio Grande do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) acusou rajadas de vento de mais de 60 km/h e chuva de 10 mm em apenas uma hora, mas sem transtornos. Temporais isolados, estimulados pela massa de ar quente, atingiram outros pontos do Rio Grande do Sul. Em Pelotas (fotos abaixo de Daniele Mota e Rejane Botelho), houve o registro de chuva forte na cidade com acumulados perto de 40 mm em alguns pontos. As áreas de instabilidade afetaram ainda o Litoral Norte com pancadas de chuva e trovoadas. Em Capão da Canoa (foto abaixo de Guilherme Andrioli), houve incidência de raios. 
A instabilidade hoje e nos próximos dias deve ser mais atuante no Sul e no Sudoeste do Estado. Onde deve chover muito é sobre o Uruguai com freqüentes pancadas. A partir deste fim de semana e, sobretudo, no decorrer da próxima semana o território uruguaio deve ter muita chuva com precipitações localmente fortes a torrenciais e temporais de vento e granizo. Os acumulados de chuva no Uruguai na próxima semana devem ser muito altos com volumes de 100 mm a 200 mm em muitas áreas e até de 200 mm a 300 mm em setores localizados, o que deverá trazer muitos alagamentos e até mesmo inundações.
Mapa - MetSul
Não há perspectiva de término tão cedo da onda de calor. E a perspectiva é de intensificação. A temperatura se elevará ainda mais a partir do domingo, marcando o começo da segunda fase da onda de calor que vai ser mais intensa. A primeira semana de fevereiro, na próxima semana, aliás, promete ser tórrida e uma das mais quentes da história recente do Estado. O Estado terá marcas à sombra de 41ºC a 43ºC em algumas cidades e vários dias seguidos com marcas acima dos 40ºC, inclusive na região de Porto Alegre. Os modelos de clima com tendências de mais longo prazo sinalizam uma possibilidade de alivio moderado no final da semana que vem, ao redor do dia 7, mas ainda é muito cedo para se avaliar o tamanho deste refresco.  

Metsul: Prolongada e extrema onda de calor pode atingir níveis históricos

Por: Professor Eugenio Hackbart - Janeiro, 28-01-2014 | 10:14

O último fim de semana teve breve intervalo de temperatura amena no Rio Grande do Sul após o escaldante período de calor registrado na semana passada. No domingo mesmo já começou a ingressar uma massa de ar quente a partir do Norte do Estado, mas foi nesta segunda-feira(27) que a temperatura voltou a disparar. As máximas na segunda-feira atingiram 37,4ºC em Santa Cruz do Sul, 37,3ºC em Porto Alegre e Campo Bom, 37,2ºC em Teutônia e 37ºC na Base Aérea de Canoas. O calor, contudo, pode ser considerado fraco perto do que está por vir. Nos próximos dias, o tempo quente e abafado não vai dar trégua. No momento inicial da onda de calor, não são esperadas máximas tão altas quanto as da semana passada, quando fez perto de 40ºC à sombra, já que vão ocorrer freqüentes pancadas de chuva. O pior deve ser esperado para o começo de fevereiro, quando a massa de ar quente se intensificará muito sobre o Sul do Brasil. Não apenas o Rio Grande do Sul vai sofrer com marcas muito acima da média nos termômetros nos próximos 10 a 15 dias, mas também uma extensa área do Brasil (Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além do Paraguai, Uruguai e o Centro-Norte da Argentina. Será um evento excepcional de calor que pode fazer deste verão o mais quente ou um dos mais quente já registrados em mais de um século de observações. 

mapa meteorologia - metsul 01

Esta nova onda de calor, ainda em seu momento inicial, deverá ser muito longa e intensa com duração de meio mês. Há indicativos de que se formará junto ao Centro da América do Sul o que se convencionou chamar na Meteorologia dos Estados Unidos de um “heat dome”, verdadeira “bolha” gigante de ar extremamente quente associada a persistente área de alta pressão. É verdadeira panela de pressão com ar quente aprisionado nela e se intensificando enquanto o ar mais frio que poderia trazer alívio fica bloqueado mais ao Sul da América do Sul. Estabelece-se  padrão de bloqueio que desloca a corrente de jato mais ao Sul da posição normal com contínuo ingresso de ar quente de Norte e que se intensifica. A longa sequência de dias tórridos agrava o efeito da ilha de calor urbano e as cidades ficam ainda mais quentes com noites muito quentes. Quando se estabelece uma condição de bloqueio com uma bolha de ar quente tão intenso e extensa, as ondas de calor não apenas tendem a ser muito fortes como costumam ser longas com máximas extremas e até históricas. É muito provável que durante a primeira semana de fevereiro tenhamos máximas mais altas que as registradas na última onda de calor da semana passada. Haverá, ao que tudo indica, máximas no Rio Grande do Sul de 41ºC a 42ºC à sombra em estações meteorológicas. Hoje, não é possível ainda dizer se os recordes oficiais de calor do Estado de 1917 e 1943 (42,6ºC em Jaguarão e Alegrete) estão ameaçados, mas a temperatura tende a alcançar níveis extremos e vão ter relevância histórica.

O calor que se prevê para a primeira semana agora de fevereiro no Rio Grande do Sul pode superar em intensidade o registrado na primeira semana do mês em 2010. À época, uma poderosa onda de calor castigou o Estado e trouxe o famoso episódio de desmaio de um comentarista esportivo nas cabines de imprensa do Estádio Olímpico, o que acabou por criar a expressão popular “calor de desmaiar Batista”. A temperatura máxima superou 40ºC duas vezes neste mês de fevereiro de 2010 em Porto Alegre: 41,3ºC em 3/2 e 40,4ºC em 7/2 na rede do Sistema Metroclima.  A máxima do dia 3/2 teve valor superior ao recorde de calor de todos os tempos da cidade de 40,7ºC, de 1º de janeiro de 1943, porém não se considerou como novo recorde porque a estação onde foi registrada a marca é muito recente e se utiliza a estação do Jardim Botânico como referência para climatologia histórica da cidade. Já a mínima na estação do Instituto Nacional de Meteorologia no bairro Jardim Botânico de 27,9ºC, no dia 3 de fevereiro de 2010, foi a maior em cem anos de registros na cidade de Porto Alegre, superando as marcas anteriores 26,6ºC de 20 de dezembro de 1997 e os 26,9ºC de 29 de janeiro de 1933. Observe nos mapas abaixo a enorme semelhança de padrão entre o que se prevê para este começo de fevereiro e o fevereiro de 2010.

mapa meteorologia - metsul 02

mapa meteorologia - metsul 03

As máximas nesta semana devem se situar à tarde entre 37ºC e 39ºC no Rio Grande do Sul, sobretudo no Centro e no Oeste do Estado, incluindo a região de Porto Alegre. Por conta da variação de nuvens e das pancadas de chuva, a temperatura vai variar de um dia para o outro, mas seguirá quente e abafado. No próximo fim de semana, especialmente no domingo, a temperatura deve dar um salto maior a próxima semana, a primeira do mês de fevereiro, tende a marcar o auge do período quente com as marcas mais extremas, acima dos 40ºC. Será quando o centro do bolsão de ar mais quente estará sobre o Sul do Brasil. Alertamos que esta nova onda de calor poderá ter impacto econômico e social. São prováveis mais transtornos para a população por falta de luz e água com novos recordes de demanda e consumo. No campo, a soja terá estresse pelo calor excessivo e a intensa insolação, e ainda a avicultura pode sofrer mais perdas por mortes de frangos pela temperatura alta. 

Tags:
Fonte:
Metsul Blog

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário