Tempo: Semana começa com alerta de tempestade no Sul do Brasil; também chove no Centro-Oeste

Publicado em 18/03/2019 11:05 e atualizado em 18/03/2019 17:16
1842 exibições

Imagem de satélite de todo o Brasil nesta segunda-feira (18) - Fonte: Inmet
Imagem de satélite de todo o Brasil nesta segunda-feira (18) - Fonte: Inmet

LOGO nalogo

A semana começa com previsão de chuvas fortes sobre diversas áreas do Centro-Sul do Brasil. Localidades do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina ficam em alerta para tempestades durante o dia com possibilidade de acumulados de até 100 milímetros/dia e granizo.

No entanto, também chove ao longo desta segunda-feira em áreas da região Sudeste e Centro-Oeste, onde há aviso de perigo potencial. Uma frente fria e a circulação dos ventos em médios e altos níveis da atmosfera favorecem as instabilidades, segundo a Climatempo.

Veja o mapa com a previsão de precipitação acumulada para até 72 horas (19/03 a 21/03) em todo o Brasil:

Mapa com a previsão de precipitação acumulada para até 72 horas (19/03 a 21/03) em todo o Brasil - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), todo o Rio Grande do Sul e partes de Santa Catarina e Paraná ficam em alerta com chuvas entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, ventos intensos (60-100 Km/h), e queda de granizo. Pode haver corte de energia e estragos na cidade e campo.

Veja o mapa das áreas com alerta de tempestade nesta 2ª feira:

Mapa das áreas com alerta de tempestade nesta 2ª feira - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

Aviso para as áreas: Campanha, Oeste Catarinense, Encosta Do Sudeste, Serra Do Sudeste, Depressão Central, Encosta Inferior Do Nordeste, Campos De Cima Da Serra, Planalto Médio, Missões, Alto Uruguai, Litoral Gaúcho, Meio-Oeste Catarinense

Veja o mapa das áreas com alerta de tempestade nesta 2ª feira:

Mapa das áreas com alerta de tempestade nesta 2ª feira - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

Aviso para as áreas: Campanha, Oeste Catarinense, Planalto Sul Catarinense, Litoral Sul Catarinense, Encosta Do Sudeste, Serra Do Sudeste, Depressão Central, Encosta Inferior Do Nordeste, Encosta Superior Do Nordeste, Campos De Cima Da Serra, Planalto Médio, Missões, Alto Uruguai, Central Paranaense, Norte Paranaense, Oeste Paranaense, Sudoeste Paranaense, Sul Paranaense, Litoral Gaúcho, Meio-Oeste Catarinense

As chuvas em áreas do Centro-Sul devem novamente impactar a finalização dos trabalhos de colheita da soja, mas beneficiar a safrinha. No Paraná, segundo o Deral (Departamento de Economia Rural) do estado, os trabalhos atingiram, até o dia 11 de março, 66% da área total colhida.

Cerca de 91% do milho 2ª safra estava plantado no estado, com favorecimento das condições climáticas para o desenvolvimento. Já no Rio Grande do Sul, apenas 15% da safra de soja havia sido colhida até 28 de fevereiro, 25% estava por colher e 54% em enchimento, segundo a Emater/RS-Ascar.

Segundo a Climatempo, o tempo deve apresentar melhorias na região Sul já a partir de terça-feira (19) pelo Rio Grande do Sul, quando a circulação atmosférica diminui as condições para pancadas de chuva. "Assim, o sol brilha entre poucas nuvens na maior parte do estado e entre muita nebulosidade no leste gaúcho e na capital".

Veja o mapa de precipitação acumulada dos próximos 7 dias no Brasil:

Mapa de precipitação acumulada dos próximos 7 dias no Brasil - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

Em uma previsão dos próximos sete dias do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), as chuvas escassas sobre áreas da Bahia também são registradas. Outras localidades do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) também apresentam irregularidade.

Produtores de áreas do Centro-Oeste também têm relatado problemas com o avanço da colheita da soja por conta das chuvas. Novas instabilidades estarão sobre a região neste início de semana, inclusive com alerta para o estado de Mato Grosso do Sul.

"Chuva entre 20 e 30 mm/h ou até 50 mm/dia, ventos intensos (40-60 Km/h). Baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas", destacou em nota o instituto meteorológico brasileiro.

Veja o mapa das áreas com alerta de chuvas intensas nesta 2ª:

Mapa das áreas com alerta de chuvas intensas nesta 2ª - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

Aviso para as áreas: Leste Sul-Mato-Grossense, Presidente Prudente/Marília/Assis, Sul E Sudoeste Sul-Mato-Grossense, Pantanal Sul-Mato-Grossense, Centro Norte Sul-Mato-Grossense

Veja o mapa das áreas com alerta de chuvas intensas nesta 2ª:

Mapa das áreas com alerta de chuvas intensas nesta 2ª - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

Aviso para as áreas: Leste Sul-Mato-Grossense, Sul E Sudoeste Sul-Mato-Grossense, Pantanal Sul-Mato-Grossense

Ainda nesta segunda-feira, segundo o Inmet, também há alerta de acumulado de chuva para áreas do Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte.

Nas últimas 24 horas, chuvas fortes já foram registradas sobre áreas do Centro-Sul do país. Altos acumulados ocorreram no Rio Grande do Sul. Os três maiores volumes ontem (18) foram em Tuparancireta (RS): 182,4 mm, Timóteo (MG): 81,0 mm e Arq. São Pedro e São Paulo (RN): 75,6 mm.

Veja o mapa com a precipitação acumulada das últimas 24 horas no Brasil:

Mapa com a precipitação acumulada das últimas 24 horas no Brasil - Fonte: Inmet
Fonte: Inmet

Previsão estendida de chuvas para o Brasil

De acordo com o mapa de previsão estendida do centro de previsão da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês), no período de 18 até 26 de março, as chuvas mais volumosas caem sobre áreas da faixa Centro-Norte do país.

De 26 de março até 03 de abril, as precipitações ainda se concentram sobre áreas do Centro-Norte do Brasil, mas áreas do Centro-Oeste, Sudeste e Sul tem uma condição mais seca.

Veja o mapa com a tendência de precipitação acumulada para o período de 18 de março até 03 de abril:

Mapa com a tendência de precipitação acumulada para o período de 18 de março até 03 de abril - Fonte: National Centers for Environmental Prediction/NOAA
Fonte: National Centers for Environmental Prediction/NOAA

» Clique e veja mais informações a página de Clima e acompanhe cinco satélites em tempo real

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário