Passagem do tufão Hagibis no Japão provoca pelo menos 24 mortes

Publicado em 12/10/2019 17:09 e atualizado em 13/10/2019 12:25
184 exibições

O governo japonês mobilizou 27 mil membros das Forças de Autodefesa (exército) para os trabalhos de socorro.

O Hagibis tocou terra no sábado pouco antes das 19h00 e, cerca de duas horas depois, chegou à capital japonesa com rajadas de vento até 200 quilômetros por hora, de acordo com a Agência Meteorológica do Japão.

As chuvas torrenciais fizeram transbordar o rio Chikuma, afetando várias cidades e províncias como Negano.

Na cidade de Sano, em Tochigi, a enchente no rio Akiyama afetou também uma área residencial, à qual já acorreram equipes de resgate, incluindo soldados.

Em Kawagoe, o rio Ope deixou cerca de 260 pessoas presas em um lar de idosos.

Por sua vez, em Tóquio, o rio Tama também excedeu o seu limite, inundando os pisos térreos de vários edifícios, incluindo um hospital.

Mais de sete milhões de pessoas foram aconselhadas a deixar as suas casas, tendo dezenas de milhares sido acolhidas em centros de abrigo.

(No sábado:)

Tufão Hagibis provoca mortes e destruição no Japão e paralisa Tóquio

TÓQUIO (Reuters) - Um dos tufões mais poderosos que já atingiram Tóquio paralisou a capital japonesa no sábado, deixando milhões confinados em casa e as ruas desertas e duas pessoas mortas pela forte chuva e vento, que anda causou enchentes e danos generalizados.

Um homem de 50 anos morreu perto de Tóquio em um carro capotado por ventos fortes, enquanto outra pessoa morreu após ser levada em um carro, informou a emissora pública NHK. Nove pessoas continuam desaparecidas em deslizamentos de terra e inundações informou a tevê estatal.

As autoridades emitiram alertas e ordens de evacuação para mais de 6 milhões de pessoas em todo o país. Cerca de 80 feridos foram registrados até agora, enquanto mais de 270.000 famílias estão sem energia.

A tempestade, que o governo disse ser a mais forte a atingir Tóquio desde 1958, trouxe chuvas recorde em muitas áreas, incluindo a popular cidade turística de Hakone, com 939,5 mm de chuva ao longo de 24 horas.

O tufão Hagibis, que significa "velocidade" no tagal das Filipinas, atingiu a ilha principal de Honshu, no Japão, na noite de sábado. Um terremoto de magnitude 5,7 sacudiu Tóquio logo depois.

Mesmo quando o tufão se afastou da capital no sábado, um especialista alertou para novas inundações, já que várias prefeituras vizinhas começaram a liberar água das barragens, deixando-a fluir rio abaixo.

"A situação agora está pior do que na noite passada", disse Nobuyuki Tsuchiya, diretor do Centro de Pesquisa de Riverfront do Japão, à Reuters. Cerca de 1,5 milhão de pessoas em Tóquio vivem abaixo do nível do mar.

No mês passado, outra forte tempestade, o tufão Faxai, destruiu ou danificou 30.000 casas em Chiba, leste de Tóquio, e causou extensos cortes de energia.

O aeroporto Haneda de Tóquio e o aeroporto Narita em Chiba interromperam os vôos de desembarque e os trens de conexão foram suspensos, forçando o cancelamento de mais de mil vôos.

Os operadores de trens suspenderam extensivamente os serviços de trens-bala, enquanto muitas linhas de trem e metrô em Tóquio também ficaram inativas na maior parte do sábado. Normalmente, os movimentados bairros de entretenimento e compras, como Shibuya e Ginza, estavam desertos.

A Tóquio Disneyland foi fechada no sábado, seu primeiro fechamento relacionado ao clima desde 1984, e os supermercados ficaram sem água engarrafada, baterias e outros produtos relacionados a desastres.

Tufão Hagibis provoca mortes e destruição no Japão

O tufão Hagibis já deixou dois mortos no Japão. Outras dez pessoas continuam desaparecidas e 90 estão feridas. Os fortes ventos provocaram a destruição de casas e o deslizamento de terra em vários pontos do país. A tempestade também derrubou a energia em mais de 390 mil casas na área metropolitana de Tóquio.

O Hagibis já forçou o transbordamento de rios na província de Nagano. Três carros foram arrastados pelas águas próximo ao rio Chikuma. Três pessoas foram resgatadas, mas outras três estão desaparecidas.

Na província de Miyagi, no norte de Sendai, um homem foi levado pelo rio Hirose. Já na província de Fukushima, bombeiros afirmam que duas pessoas estão desaparecidas depois que um deslizamento de terra destruiu uma casa.

Uma autoridade de Tomioka, na província de Gunma, disse que duas casas desabaram em um deslizamento de terra. Um homem foi resgatado, mas morreu depois. Esforços de busca estão em andamento para encontrar duas outras pessoas.

Na província de Chiba, casas foram bastante danificadas após violentas rajadas de vento. Um homem de 50 anos de idade foi encontrado em um carro virado, mas acabou morrendo. A polícia investiga se o forte vento causou o acidente.

*Com informações da emissora pública de televisão do Japão, NHK

Fonte: Reuters

0 comentário