HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

Oeste da Bahia e Piauí devem receber chuvas generalizadas apenas no dia 20

Publicado em 13/11/2019 10:55 e atualizado em 13/11/2019 15:47
2663 exibições

LOGO nalogo

A estação chuvosa ainda demorará, pelo menos, mais uma semana para chegar de fato na região do Matopiba, principalmente para os produtores das regiões da Bahia e do Piauí. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas plantadeiras devem chegar apenas a partir do dia 20 de novembro. O atraso de chuvas já é de duas semanas no oeste da Bahia. 

Segundo Heráclio Alves, meteorologista do Inmet, o vórtice ciclônico, um sistema de alta pressão em baixos níveis da atmosfera que, na superfície, impede a formação de nebulosidade e, consequentemente, de nuvens de chuva, continua atuando sobre a região do Nordeste do país. 

"Ele (vórtice ciclônico) continua predominante em cima  do Nordeste. Nos próximos dias ele tende a dissipar, vai deslocando para leste e pro oceano. Com isso a umidade vai se formando e consequentemente formará chuvas no oeste da Bahia também", afirma Heráclio. 

O modelo cosmo do Inmet indica chuvas para o final desta semana apenas para alguns pontos do Tocantins e Maranhão, ficando entre 1 e 3 milímetros. Segundo Heráclio, as chuvas acontecerão de maneira pontual e irregular. "No Piauí e no oeste da Bahia as chuvas devem chegar com mais frequência a partir do dia 20, pode acontecer alguma chuva em alguns pontos, mas não é nada generalizado ainda", afirma Heráclio. 

Devido à instabilidade climática, a região do Matopiba passa por irregularidades no regime de chuvas. Para Cícero José Teixeira, presidente do Sindicato Rural de Luís Eduardo Magalhães, o atraso ainda está dentro da normalidade, já que a janela de plantio na região vai até o final do ano. Segundo Cícero apenas 5% da área na região já foram plantadas até o momento, contra 85% quando comparado com o plantio da safra 2018/19. Veja a entrevista completa aqui. 

Outras regiões 

Nas próximas 48 horas as chuvas ficam mais intensas no Mato Grosso do Sul, parte de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. 

Segundo Heráclio as chuvas acontecem nesses trechos porque o oceano está trazendo bastante umidade para as regiões. 

No Mato Grosso do Sul as chuvas devem ficar entre 30 e 50 milímetros em todo o estado. As chuvaas também avançam para São Paulo, podendo registrar precipitações entre 40 e 60mm no oeste, sul e leste do estado. 

O estado do Paraná deve receber chuvas expressivas em todo o estado. O modelo Cosmo do Inmet indicam precipitações entre 20 e 40 milímetros. O norte do estado tem precipitação prevista entre 50 e 70 mm. 

Em Santa Catarina são esperados volumes entre 20 e 40 mm. Volta a chover no Rio Grande do Sul, com volumes esperados entre 40 e 70 milímetros na área norte do estado. As demais regiões devem ficar entre 20 e 40 mm. 

Veja o mapa de precipitação para as próximas 93 horas em todo o Brasil: 

93 horas - Inmet
Fonte: Inmet 
 

Últimas 24 horas 

Nas últimas 24 horas os maiores volumes de chuva foram registrados no Espírito Santo e no Rio de Janeiro. 

De acordo com dados do Inmet, no Espírito Santo choveu entre 20 e 30 milímetros e no sul do Rio de Janeiro foram registrados 30 mm de precipitações. 

No Goiás foram registradas chuvas de 15 milímetros na região sul do estado. Já no Mato Grosso, os maiores volumes foram registrados na região norte, com precipitações entre 15 e 30 milímetros. 

Veja o mapa de precipitação das últimas 24 horas em todo o Brasil:

24 horas - Inmet
Fonte: Inmet 

Soja BMX 50i52 Ipro Raio do Produtor João C. Beckmann em Sarandi (RS). Envio de Tiago Colombo
Soja BMX 50i52 Ipro Raio do Produtor João C. Beckmann em Sarandi (RS). Envio de Tiago Colombo

Lavoura de Soja em Campo Novo do Parecis (PR). Envio de Nivaldo Forastieri
Lavoura de Soja em Campo Novo do Parecis (PR). Envio de Nivaldo Forastieri

Foto em Quedas do Iguaçú (PR). Envio do Rodrigo Leandro Guzzo
Foto em Quedas do Iguaçú (PR). Envio do Rodrigo Leandro Guzzo

 

Por: Virgínia Alves
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário