Clima: Seca favorece incêndios e são necessárias medidas preventivas nas fazendas

Publicado em 10/07/2020 11:08 e atualizado em 16/07/2020 10:22 2989 exibições

 

LOGO nalogo

As condições de Inverno começam a ganhar intensidade e segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), algumas áreas do Brasil Central já registram quase dois meses sem chuvas. "A umidade relativa do ar entre 20 e 30% ainda está dentro da climatologia, mas a tendência é que as condições piorem a partir de agosto", destaca Francisco de Assis Diniz. As condições mais secas favorecem os episódios de queimadas e para evitar prejuízos, o produtor precisa estar atento e adotar medidas preventivas para esse período do ano. 

O mapa de umidade inicial do solo do COLA, na sigla em inglês, que é o centro de estudo Oceano-Terra-Atmosfera dos EUA ligado ao NOAA,  mostra que os níveis de água líquida no solo no Brasil estão entre 30 e 35 centímetros no Mato Grosso, com destaque para alguns pontos em que a situação é um pouco mais crítica. No Mato Grosso do Sul, as chuvas dos últimos aliviaram parte da situação e os mapas indicam umidade entre 40 e 45 centímetros. Segundo o NOAA, as condições em Goiás, o mapa indica números entre 35 e 40 cm.

Mapa NOAA - Solo - 1007
Fonte: Inmet 

Afonso Peche Filho - Pesquisador do Instituto Agronômico (IAC) destaca que é importante que o produtor tenha um "Plano de Convivência" com longos períodos de alta inflamabilidade regional. "As ações preventivas são importantíssimas, bem como a propagação para as ações de combate", afirma o especialista. 

O pesquisador explica que o primeiro passo de prevenção é montar na própria fazendoa uma brigada de incêndio. "A brigada cooperativa é formada pelo conjunto de vizinhos. Cada fazenda disponibiliza funcionários, equipamentos, instrumentos, máquinas e veículos de apoio, etc. A brigada de incêndio é responsável pela coordenação das ações de prevenções, de combate e evacuação das áreas. de incêndios e outros acidentes. Uma outra função da brigada de incêndio é o treinamento de todos os funcionários da fazenda bem como de visitantes e transeuntes", explica. 

Além disso, o ideal é que seja montado ainda um sistema de monitoramento e informação de foco de incêndio, que tem como principal finalidade a contenção imediata. "Montar “rede de pontos de apoio e abastecimento de água”, que podem ser fixos ou móveis. Bem como os pontos devem servir para a prestação de primeiros socorros em eventuais acidentes", explica.  

Afonso explica ainda que o ideal é obter um mapa ou imagem de cada fazenda e de toda área cooperativa, contendo todas vias de acesso bem como pontos de abastecimento e um estudo sobre o histórico climatológico local. Para garantir a eficácia das ações, as lideranças devem ainda eleger e preparar um “coordenador geral” da propriedade e um da brigada cooperativa.

"Ele será responsável pela coordenação do trabalho de todos os brigadistas.Os brigadistas devem receber um treinamento preparatóriotodo ano por um profissional cadastrado no ministério do trabalho para a execução dessa atividade. A fazenda deve promover contínua e frequente verificação interna das instalações, áreas agrícolas e equipamentos", finaliza. 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário