HOME VÍDEOS NOTÍCIAS DADOS DA SAFRA METEOROLOGIA FOTOS

Após período de estiagem, chuva retorna com passagem rápida pelo Sul do Brasil

Publicado em 24/11/2021 10:49 e atualizado em 24/11/2021 11:22 3990 exibições
Sistema passa rápido, mas com volumes significativos para o RS, além de deixar toda área em estado de alerta nos próximos dois dias

Logotipo Notícias Agrícolas

De acordo com as previsões mais recentes do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas retornam para o Sul do Brasil a partir de amanhã e além dos modelos apontarem condição para volumes expressivos, devido as altas temperaturas dos últimos dias a entrada do novo sistema deixa toda a região em alerta, com chuvas que podem chegar com rajada de ventos e até queda de granizo nos três estados. 

Segundo Andrea Ramos, meteorologista do Inmet, mais uma vez o sistema deve passar de forma muito rápido pela região. Condição característica da Primavera, mas que tem sido potencialiada pelo fenomeno da La Niña, que faz com o que o sistema passe ainda mais rápido. 

Em relação aos volumes, o modelo Cosmo do Inmet prevê precipitação entre 20mm e 40mm no noroeste do Rio Grande do Sul na quinta-feira, dia 25. Na sexta-feira (26), a tendência é que o sistema avance para Santa Catarina e Paraná, com destaque para o noroeste do Paraná que tem previsão de precipitação de até 70mm e é área onde as chuvas de granizo podem acontecer com mais intensidade. 

A previsão mostra ainda a condição para chuvas no Mato Grosso do Sul e São Paulo, com previsão de precipitação entre 20mm e 40mm. No final de semana as chuvas chegam também em Minas Gerais e no Centro-Oeste. Até lá, as chuvas continuam mais volumosas na região norte do Brasil, com destaque para o Matopiba que deve receber os maiores acumulados de chuva nas próximas 24 horas. 

Veja o mapa de previsão de precipitação nas próximas 93 horas: 

GIF 24-11-2021 10-51-36
Fonte: Inmet


 

Monitor de Seca atualiza os dados após chuvas de outubro 

O mês de outubro foi marcado pelo retorno das chuvas no Brasil. Conforme destaca a Climatempo, a formação de uma Zona de Convergência do Atlântico Sul favoreceu a formação de nuvens carregadas e chuvas volumosas em muitas áreas do Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e Norte do Brasil. 

Mesmo com o retorno das chuvas, a consultoria destaca que o grau de seca ainda é considerado extremo a excepcional, pelo Monitor de Secas, na região que abrange o norte e o noroeste de São Paulo, o Triângulo Mineiro e o sul de Goiás, a divisa do sul Goiás com o Mato Grosso do Sul e o Mato Grosso e as áreas de divisa entre o Mato Grosso e o Mato Grosso. 

No Sul do Brasil, o grande volume de chuva que caiu em outubro abrandou a seca nos três estados, de acordo com a avaliação do Monitor de Seca. "Houve redução das áreas com seca extrema (diminuição da mancha vermelha) no noroeste do Rio Grande do Sul e oeste catarinense. A área de seca grave (mancha marrom)  também diminuiu no Paraná e centro de Santa Catarina", explica a Climatempo. 

Na Região Centro-Oeste, a análise do Monitor de Seca identificou um aumento da área com seca moderada no oeste de Mato Grosso e da seca grave no oeste do Mato Grosso do Sul, em decorrência de chuvas abaixo da normalidade.

O Monitor de Secas mostra ainda que em pontos do centro-sul e leste do Tocantins estavam com seca grave em setembro e passaram para seca moderada em outubro de 2021. Ainda no Matopiba, a Climatempo destaca redução da área de seca grave no período. No norte de Goiás, houve redução da área de seca moderada e aumento da área de seca fraca. 

88_outubro2021
Fonte: Monitor de Seca

 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário