Chuvas em MG podem pressionar meta de produção da Vale em 2022, diz Itaú BBA

Publicado em 10/01/2022 12:50 82 exibições

Logotipo Reuters

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A produção de minério de ferro da Vale poderá ficará mais perto do limite inferior da meta anunciada para 2022, de 320-335 milhões de toneladas, devido a impactos causados pelas chuvas em suas operações em Minas Gerais, afirmaram analistas do Itaú BBA em nota a clientes nesta segunda-feira.

A análise vem após a mineradora ter paralisado parcialmente operações em seus sistemas Sul e Sudeste, ou o equivalente a cerca de 30% da produção da companhia nos primeiros nove meses de 2021, destacou o banco.

A restrição da oferta, segundo o banco, poderá ainda sustentar os níveis globais de preço do minério de ferro.

As paradas ocorreram, segundo a Vale, "visando garantir a segurança dos seus empregados e comunidades", em razão do nível elevado de chuvas que atingem Minas Gerais. Apesar da medida, a companhia manteve sua meta de produção para o ano.

"De acordo com nossos cálculos preliminares, uma parada de duas semanas nessas operações poderia ter um impacto de cerca de 3 milhões de toneladas para a Vale (menos de 1% da meta de produção da empresa para 2022, que permaneceu inalterada em 320-335 toneladas)", disseram os analistas do Itaú BBA, em relatório a clientes.

O banco ressaltou que o primeiro trimestre é sazonalmente mais fraco em termos de produção, justamente devido às chuvas fortes habituais.

"Embora a Vale não tenha alterado sua orientação de produção de 320-335 toneladas métricas para 2022, acreditamos que o mercado poderia começar a projetar volumes mais próximos do limite inferior da faixa."

As paralisações vem enquanto a Vale trabalha para retomar capacidade de produção em Minas Gerais, depois que o rompimento de uma barragem em Brumadinho (MG), há três anos, levou a uma série de revisões de seguranças em suas atividades.

As ações da Vale operavam em baixa de 0,8% por volta das 12h25, enquanto o Ibovespa caía 1,3%.

PREÇOS DO MINÉRIO

O Itaú BBA disse ainda no relatório que, com as incertezas relacionadas à retomada das atividades, os preços do minério de ferro poderiam se sustentar nos atuais patamares elevados.

Os preços spot do minério com 62% de teor de ferro para entrega à China fecharam a 127,5 dólares por tonelada nesta segunda-feira, de acordo com a consultoria SteelHome, uma queda de 1 dólar diante de preocupações com a variante do coronavírus Ômicron.

O banco ressaltou ainda que a perspectiva de preços em patamar mais alto também consideram expectativas de retomada da atividade de construção na China (cerca de 35% do consumo de aço no país), na sequência de recentes medidas de estímulo anunciadas pelo governo.

(Por Marta Nogueira)

Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário