Frio segue avançando com potencial de geada ampla e ciclone Yakecan deixa RS em alerta máximo

Publicado em 17/05/2022 10:36 e atualizado em 17/05/2022 12:23
Meteorologistas mantêm previsão de geada ampla em várias de produção agrícola na próxima madrugada

Logotipo Notícias Agrícolas

As próximas 24 horas serão marcadas por eventos extremos no Brasil. Além da onda de frio precoce e intensa, já sendo monitorada no país há alguns dias, a formação de uma tempestade subtropical deixa o estado do Rio Grande do Sul em alerta máximo para ventos fortes, de acordo com comunicado oficial emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) em conjunto com a Marinha do Brasil. 

Confirmando as previsões anteriores, a madrugada desta terça-feira (17) já foi mais gelada no Sul do Brasil. Segundo dados coletados nas estações meteorológicas do Inmet as temperaturas mínimas chegaram a bater 1.7ºC em Inácio Martins, no sul do Paraná e na mesma região, no início da manhã a mínima chegou a 3.5ºC. A tendência, de acordo com Andrea Ramos, meteorologista do Inmet, é de que o seja marcado por baixas temperaturas nos três estados da região Sul do Brasil e as máximas não devem ultrapassar os 16ºC. 

Continuam mantidas as condições de geadas para a próxima madrugada em diversos pontos no Centro-Sul do Brasil. Os modelos continuam indicando que o dia mais crítico para geada será na próxima madrugada, conforme também prevê o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (SIMEPAR). 

"Na quarta-feira, com a intensificação dos ventos, e mesmo com as temperaturas baixas, as condições para a formação de geada ainda dependem muito da ação dos ventos, porém, não se descarta a ocorrência principalmente em regiões de vales. Aliás, o vento mais "gelado" ainda pode causar intensa sensação de frio na metade sul do Estado e segue com chance de ocorrência de geada negra", afirmou o alerta emitido na manhã desta terça-feira (17). 

Veja o mapa com previsão de geadas divulgado pelo Simepar: 
 

Simepar 17052022


Veja as temperaturas registradas pelo Simepar nas primeiras horas do dia: 
 

49780

O modelo de tendência de temperatura do Inmet mostra o avanço da massa de ar frio para outras áreas do país. Segundo a meteorologista, há risco de geadas na próxima madrugada em áreas do Mato Grosso do Sul, São Paulo e sul de Minas Gerais. Nessas áreas, as temperaturas mínimas podem ficar abaizo de 4 graus nos próximos dias, de acordo com as previsões do Inmet. O cenário continua sendo de monitoramento e muita preocupação em áreas de produção agrícola, sobretudo no milho safrinha, hortaliças e café. 

"Sol e muito frio na maioria das áreas do estado de São Paulo, do Sul de Minas Gerais e na região do Triângulo Mineiro. Vai esfriando cada vez mais até o fim da tarde", complementa a previsão da Climatempo. Também é previsto declínio nas temperaturas no Mato Grosso e em Goiás nas próximas horas. 

Veja o mapa de previsão de temperatura nas próximas 93 horas: 
 

GIF 17-05-2022 10-39-43
Fonte: Inmet

CICLONE YAKECAN

A Marinha do Brasil, com colaboração do Inmet, emitiu uma nota oficial sobre a formação do ciclone extratropical "Yakecan", que deixa o Rio Grande do Sul em alerta máximo para ventania e potencial de danos nas próximas horas.

"O referido sistema poderá provocar ventos intensos nas proximidades do litoral do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, ao sul de Laguna, podendo atingir 60 nós (110 km/h) durante as manhãs até dia 19, e poderá atingir 45 nós (80 km/h) no litoral de Santa Catarina, ao norte de Laguna, e do Rio de Janeiro, ao sul de Arraial do Cabo, entre a noite do 16 e a manhã do dia 19 de maio", afirma a nota oficial. 

Segundo Andrea Ramos, apesar do evento climático potencializar a chance de chuva no estado gaúcho, a situação é de alerta principalmente pelo vento forte que deve atingir a região, podendo chegar a 100 km/h. O cenário mais crítico é previsto na faixa Leste do Rio Grande do Sul, mas todo o estado fica em alerta nas próximas 24 horas. 

16_05_1
Ciclone extratropical deixa RS em alerta

"O que já vinha chamando a atenção dos meteorologistas brasileiros, e de outros centros internacionais de monitoramento meteorológico, é a trajetória anômala deste sistema, que tende a avançar do mar para o continente. O comum é que estes ciclones passem pela costa da Região Sul, às vezes do Sudeste, e avancem para o alto-mar", complementa a Climatempo. 

Ainda de acordo com a consultoria, após se aproximar do litoral sul do Rio Grande do Sul, o  sistema deve se deslocar rente ao litoral gaúcho e ao litoral sul de Catarina, quando deve começar a se afastar do litoral catarinense indo em direção à costa da região Sudeste, mas já afastado do continente e com ventos menos intensos.

Também monitorando as condições na região Sul, a MetSul acrescenta que a atuação deste ciclone ocorre sob a influência de uma massa de ar frio e a ocorrência de vento forte e chuva e a baixa temperatura vão trazer sensação térmica muito baixa e desconfortável para quem estiver na rua. Valores de sensação térmica negativa devem ser esperados na Serra e Aparados da Serra, além do Planalto Sul Catarinense. 

METSUL
Fonte: MetSul 
Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário