Pastagens no Centro-Oeste ainda sofrem com a irregularidade das chuvas

Publicado em 29/10/2010 11:23
465 exibições
As pastagens no Centro-Oeste, ainda sofrem com a irregularidade de chuvas, o que tem causado danos a pecuária local. De acordo com o engenheiro agrônomo da Somar Meteorologia, Marco Antônio dos Santos, os pastos da Região continuam degradados e com altura inadequada para o pastoril, o que leva a um baixo rendimento de carcaça dos rebanhos, uma vez que os pastos vêm apresentando baixos teores nutricionais.

Porém, essa situação poderá se reverter, já que há previsões de chuvas mais generalizadas no final da última semana de outubro de 2010 e inicio da próxima, em especial na parte norte dos estados de MT e GO. "Mesmos se as precipitações se confirmarem os pastos só voltaram a ter reais condições de pastoril no final do mês de novembro e inicio de dezembro. Até lá as pastagens continuarão semi-degradadas e com baixos teores nutricionais, impedindo que os animais ganhem peso e consiga abastecer adequadamente os frigoríficos", explica o engenheiro.

Já no Norte do Brasil, apesar das chuvas dos últimos 7 dias, a umidade do solo ainda está abaixo dos 60%, o que ainda não reverte o quadro das condições dos pastos na Região. Mas segundo a Somar Meteorologia, há previsão de chuva para os próximos 10 dias em todas as regiões de pecuária do Nordeste e Norte do país, o que deve melhorar este quadro gradativamente.

Na Região Sudeste, as chuvas em SP e MG estão um pouco mais regulares, desse modo, as pastagens estão com alturas e teores nutricionais maiores. Com isso, os animais já começam a ganhar peso para abate. Só que esta situação pode se reverter nos próximos dias com a previsão de falta de chuvas generalizadas e de baixo volume sobre a região.

No sul a situação é bem diferente do restante do país, tanto as pastagens naturais quanto as cultivadas vem apresentando excelentes condições de pastoril, permitindo assim, uma boa conversão alimentar e consequentemente ganho de peso ao gado. Além das boas condições para o pastoril, os pecuaristas estão conseguindo realizar o plantio de novas pastagens e manutenção das existentes.
Tags:
Fonte: Cons. Nac. de Pecuária de Corte

Nenhum comentário