Granizo causa prejuízos a municípios do Rio Grande do Sul e deixa um em situação de emergência

Publicado em 30/08/2011 14:20 312 exibições
Região norte do Estado foi a mais prejudicada pelas pedras de gelo, que deixaram casas destelhadas e pessoas desabrigadas.
O granizo que caiu desde a noite dessa segunda, dia 29, sobre o Estado do Rio Grande do Sul e atingiu mais de dez municípios causou estragos em centenas de casas, deixando desabrigados.

A região norte do Estado foi a mais afetada. Na noite de segunda as cidades de Sananduva, Floriano Peixoto, Santo Expedito do Sul, Sarandi e Coxilha notificaram os danos à Defesa Civil estadual.

O prefeito de Vacaria, também situada na região norte do Rio Grande do Sul, Elói Poltronieri decretou situação de emergência no município.

– Todas as secretarias estão mobilizadas para reparar os danos. Empresas da cidade também disponibilizaram funcionários para ajudar na reconstrução  – diz o prefeito.

Como ainda chove em Vacaria nesta terça, dia 30, ainda não foi possível recolocar telhas nas casas. Por enquanto, estão sendo fornecidas lonas para cobrir as moradias.

A prefeitura estima que sejam necessárias de cinco a sete mil telhas.

– Vamos conseguir o material com a Defesa Civil e também com recursos da própria prefeitura – explica Poltronieri.

Em Coxilha foi registrado cinco minutos de chuva de granizo, o suficiente para destruir os telhados de pelo menos 40 casas. Em Sananduva, mais de 70 casas da área rural tiveram telhados danificados. A chuva destruiu estabelecimentos comerciais na cidade.

– Só em mercadorias a gente teve um prejuízo de R$ 20 mil, sem contar todo o estrago na parte elétrica – conta a comerciante Carine Brezolin.

Em Passo Fundo, o Corpo de Bombeiros não teve equipe suficiente para atender a todos os chamados da população do município. Mais de 400 casas tiveram os telhados danificados. Os moradores foram ao batalhão para receber lonas. A Prefeitura do município entregou mais de 3,2 mil metros.

Em Pelotas, no sul do Estado, a chuva forte com queda de granizo, foi registrada às 17h30, de segunda, causando alagamentos. As pedras formadas foram tão grandes que às 21h ainda era possível encontrar gelo acumulado sobre as calçadas do centro da cidade. A formação do granizo com pedras grandes, como ocorreu em Pelotas, ocorre devido ao vento muito intenso, que faz com que as pedras fiquem por muito tempo suspensa no ar, e por isso quando ela cai já está grande.

Nesta terça, dia 30, as nuvens ainda estão carregadas sobre o norte do Rio Grande do Sul, região de divisa com Santa Catarina, onde ainda há potencial para temporais.

Tags:
Fonte:
Canal Rural + Zero Hora

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário