Código Florestal: Governo quer votar matéria somente após a Rio+20

Publicado em 15/03/2012 11:42 885 exibições
Uma matéria da agência Reuters dessa quinta-feira traz informações dizendo que o governo abriu mão de votar o novo Código Florestal neste semestre. A proposta foi levada à bancada ruralista, porém, foi rejeitada. 

Para o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), o objetivo do governo é fazer com que a votação aconteça somente depois da Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que acontece no Brasil, em junho. 

No entanto, Colatto lembrou ainda que, até ser votado o relatório, o governo se comprometeria a prorrogar o decreto a aplicação de multas aos produtores que descumpriram as regras de regularização fundiárias e ambientais estabelecidas em 2008. No final do ano passado, o decreto foi prorrogado até o dia 11 de abril de 2012. 

" Ele (Henrique Eduardo Alves, líder do PMDB) disse que o decreto seria prorrogado e reformulado com outros termos, mas não disse que termos. Do jeito que está o decreto não serve também, os cartórios não estão respeitando", afirmou Colatto. 

A votação, que inicialmente estava marcada para os dias 6 e 7 de março, também está sendo adiada em função de um temor do Planalto de sofrer mais uma derrota, como aconteceu no ano passado. Em 2011, os deputados aprovaram uma emenda que conferia mais poderes aos Estados na regularização de ocupações em áreas de proteção e os tipos de atividades admitidas nessas regiões.

Com informações da Reuters. 

Por Ciro Siqueira, no blog Código Florestal:

Deputados se recusam a votar lei da Copa e forçam governo a votar o Código Florestal

Os deputados que defendem do setor rural acabam de inviabilizar a votação da Lei Geral da Copa. Passaram um claro recado ao Governo: Sem votação do Código Florestal não se vota nada. Essa é a única chance da reforma do Código Florestal ser concluída em 2012.

O novo líder do governo na Câmara, Deputado Arlindo Chinaglia (lê-se quinalha) começou o dia falando grosso dizendo que o Governo não quer alterar o texto do Senado. "É evidente que a Rio+20 é vitrine internacional e temos que aproveitá-la bem. A melhor maneira é se pudermos apresentar uma legislação, um novo Código Florestal que sirva como uma boa referência", disse Chinaglia à Veja hoje cedo dando sinais de que se alinharia às ONGs. 

Na reunião de líderes que aconteceu hoje a tarde Chinaglia foi informado que se o governo não concordar em alterar o texto do Senado e botar o Código Florestal em votação os deputados não votarão os itens de interesse do Governo. É uma rebelião apartidária em favor da Agricultura nacional.

Agora a tarde Chinaglia amarelou o sorriso e chamou a bancada da agricultura para uma conversa. Segundo informações da Agência Câmara, ao sair da reunião com os líderes da base aliada, Chinaglia, informou que terá uma reunião nos próximos dias com a bancada ruralista para definir um acordo para votar o Código Florestal.

A obstrução dos deputados da agricultura funcionou. Vejamos se Chinaglia vai para a reunião com a bancada da agropecuaria com a mesma posição intransigente do governo.
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

2 comentários

  • Waldir Sversutti Maringá - PR

    que não fizeram em suas nações, aquilo que pregam aqui.

    Sugiro fazermos como os franceses já fizeram em várias oportunidades, recebê-los com uns 3 caminhões de tomates e ovos, para que sintam o sabor desses produtos, assim que abrirem as bocas para falarem abobrinhas.

    Ao governo e ao congresso, maior respeito aos produtores rurais e ao povo brasileiro. Estamos de olho neles.

    0
  • Waldir Sversutti Maringá - PR

    O que temos a fazer urgente, é uma marcação cerrada em cima dos deputados federais, representante de cada cidade, para engrossem a bancada ruralista, pelo menos nesse propósito, trancar a pauta enquanto não votarem o Códigico Florestal..

    Onde e quando se viu uma nação se submeter tanto e vergonhosamente aos interesses desses gatos pingados, q

    0