Código Florestal: Governo segue com negociações e decreto de multas ambientais será prorrogado

Publicado em 05/04/2012 15:07 1229 exibições
Segundo uma notícia do Estado de S. Paulo publicada nesta quinta-feira, o governo continua as negociações para um acordo sobre o novo Código Florestal brasileiro. 

Nesta quarta-feira, foi iniciado um diálogo com a bancada ruralista e, em reuniões separadas com o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), e na Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), a presidente Dilma Rousseff pediu que os mesmos informem aos representantes do agronegócio que o decreto sobre as multas ambientais que vence no dia 11 próximo será reeditado. 

"Certamente, se houver necessidade de prorrogar para facilitar o processo de diálogo, negociação e de entendimento - e eu reitero a nossa posição em relação ao texto do Senado e à posição de não ter anistia para desmatador e um código que não leva a novos desmatamentos, mas que também assegure ter a segurança jurídica do produtor rural - obviamente, o governo terá sensibilidade, a gente irá propor a prorrogação como foi feito no passado para viabilizar o processo de debate", disse Izabella Teixeira após o encontro com Dilma. 

Hoje há informações de que os ruralistas conseguiriam derrotar a orientação do Planalto e evitar a anistia "e de tirar do texto do Código Florestal a parte que determina o reflorestamento de áreas desmatadas próximas aos rios e córregos", informou o Estadão. 

Dessa forma, a presidente disse aos líderes que eles devem negociar um acordo de votação e, nesse acordo, a Câmara aprovaria o projeto do Senado. 

Com isso, os ruralistas poderiam fazer alguns destaques nos pontos de desacordo, o que poderia provocar um enfrentamento entre as duas frentes. Porém, com a aprovação do texto do Senado, quase 1 milhão de produtores sairiam da ilegalidade e poderiam contar com alguma segurança jurídica. 

Com informações do Estado de S. Paulo. Leia a notícia no site do Estadão clicando no link abaixo:

Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

3 comentários

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Seria tão bom se nossos agricultores e suas entidades bem como os diversos rábulas do país REAGISSEM contra estas ONG de ambientalóides com o mesmo VIGOR que se debatem para não pagar royalties sobre tecnologias desenvolvidas para o progresso da agricultura. Fair Play é utilizar as regras de mercado. Se SOU contra o pagamento de royalties pelo cultivo de soja transgenica basta abster-me de plantar tais cultivares. Fora disso, sempre é admissivel uma discussão sobre o valor mas negar o direito já é comunismo.

    0
  • Angélica Fartura - SP

    Sr. João Batista! De que adianta o governo baixar decreto prorrogando multas ambientais se os promotores não atendem?. Houve uma época em que a cada decreto baixado por Lula eu sentia uma certa esperança, no entanto nenhum decreto me auxiliou e descobri que promotores estão acima de decretos, tanto que não ficou nenhuma casa no local, a não ser um capão de mato que sustenta a ideologia do promotor.

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Precisamos entender o seguinte: A votação do Código Florestal tem tudo a ver com a Rio+20. Se assim não fosse, já teria sido votado. Mas quem está trancando? A Ministra Izabela e as ONGs chancelados pela Realeza de Londres, porisso mudaram a data da Rio+20 de 4 a 6 de junho para 20 a 22 de junho, pois nos dias 4 a 6 de junho os governantes mundiais puxa sacos terão que ir a Londres para a comemoração dos 60 anos de trono da parasita ultrapassada. Não sou preconceituoso, sou a favor das democracias e soberanias nacionais. E também foi porisso que a Presidenta foi a India para a cupula de Nova Delhi para a reunião do Brics e convidar seus governantes para virem a Rio+20 sob pena desta fracassar, o que seria desastroso para o famigerado ambientalismo mundial. Nessas reuniões internacionais qual é o principal assunto: Rio+20 e a famigerada economia verde e desenvolvimento sustentável. Mas vejam, se aprovarmos o Código Florestal com as matas ciliares tradicionais, as ONGs estarão consolidando Reservas Ambientais particulares as custas dos escravos produtores que serão usadas como modelo para o mundo, mas só o Brasil será modelo. Ninguém mais será burro ao ponto de doar áreas particulares para satisfazer o ego da burrice ambiental internacional.Desta forma ainda bem que nossos Deputados não votaram o Código logo após a votação no Senado, o que seria desastroso para o País. Entendo que o decreto será prorrogado e a votação do Código ficará para depois da Rio+20, ou iremos com 50 mil produtores a Brasília e aprovaremos o Código a favor do Brasil. Tudo isso João Batista, porque quando teve 2º turno eu avisei que o preço do apoio da Marina seria o Código Florestal massacrando o desenvolvimento brasileiro e somente uma mobilização nacional seria capaz de impedir que o golpe se consolidasse. Por enquanto estamos impedindo. Mas até quando? Voltarei em seguida! Abraços.

    0