Código Florestal: Especulações apontam veto em 12 a 14 artigos do texto aprovado na Câmara

Publicado em 22/05/2012 11:51 e atualizado em 22/05/2012 14:58 930 exibições
Uma matéria do Estado de S. Paulo desta terça-feira noticiou que o ex-ministro do Meio Ambiente e atual secretário do Ambiente no Rio de Janeiro, Carlos Minc, afirmou ontem que a presidente Dilma Rousseff deverá vetar "algo como 12 ou 14 artigos" do Código Florestal aprovado na Câmara. Minc disse ainda que uma Medida Provisória será editada logo em seguida para "impedir um vácuo legislativo". 

As especulações não são sobre se haverá ou não veto, mas sim a extensão do mesmo. Os representantes do meio ambiente buscam agora saber quais pontos, entre esses 12 e 14 ditos pelo ex-ministro, serão vetados. A proximidade da Rio+20, segundo os ambientalistas, poderá ser uma forma de estimular o veto por parte da presidente. 

"O que está se estudando não é se ela (Dilma) veta ou não, mas a extensão do veto. Além disso, também estão estudando os termos da MP, porque a decisão precisa ter sustentabilidade ambiental e política. Não adianta vetar tudo e o veto ser derrubado. Estou convencido de que é isso o que a presidente fará, até porque falei com ela mais de uma vez sobre esse assunto recentemente. Dilma não vai permitir que a Rio+20 seja marcada por uma posição de recuo do Brasil em relação à proteção das suas florestas. Ao mesmo tempo, está tomando todas as precauções para que essa medida se mantenha politicamente", disse Minc ao Estadão. 

Entre os artigos que devem ser vetados, Minc afirma que deverão ser os que tratam das APPs, a recomposição das matas às margens de rios e a atividade pecuária em encostas. 

Com informações do Estado de S. Paulo. 
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Angelo Miquelão Filho Apucarana - PR

    O crescimento do Brasil sempre foi prejudicado pelos sindicatos e organizações que defendem muito mais seus interesses a que de seus sindicalizados. Hoje temos todo tipo de ONGs e outras porcarias que se aproveitam do dinheiro fácil do governo burro, para fazerem baderna transvestidos de defensores disso ou aquilo! O que ninguém se compromete é a apontar saídas, alternativas viáveis e que se possam ser cumpridas sem afetar a economia dos produtores brasileiros. Não se trata apenas da renda, mas sim da permanecia ou não dos mesmos em seus ambientes de trabalho. Estes circos me lembram o movimento para a deposição de Collor, onde caras pintadas se promoveram, apareceram e muitos não tinham nem ciência da verdadeira causa em que estavam empenhados, estavam lá porque outros estavam também! E tudo por causa de um Fiat Elba. Hoje são bilhões desviados, roubados e cadê os palhaços caras pintadas? Endeusam quem enriqueceu extraordinariamente a custas de nossos impostos e hoje é um dos maiores fazendeiros do Brasil, tudo em oito anos! A maioria dos pequenos e médios produtores estão passando por dificuldades financeiras de toda a ordem, e ainda sobre nós caem a responsabilidade de reflorestar, cuidar e gastar o que não temos em nome de uma coletividade predadora e sem responsabilidade com nada. Vejam estes jovens empenhados no "veta Dilma", usam de sua força para protestar e nada fazem de concreto. Porque não vão ajudar a conservar as minas, os rios, as matas? Temos falta de mão de obra para plantar, capinar e cercar as reservas, minas e rios, venham para cá e vejam o quanto é fácil falar, quero ver vocês fazerem! Andem de ônibus, a pé, de bicicleta para ajudar o meio ambiente, deem menos descargas no vaso, parem de jogar garrafas Pets nas ruas e boeiros, tudo isso vai para os rios e nós é que somos culpados? Aprendam a cuidar para depois criticar, aprendam a votar para depois seguir ou calem a boca, pois de conversa fiada e boas intenções o inferno está cheio e nosso saco também!

    0