Agricultores familiares anunciam em Brasília criação de confederação nacional

Publicado em 23/05/2011 16:15 522 exibições
Lideranças sindicais ligadas à agricultura familiar anunciam nesta terça-feira (24), em Brasília, a criação da Confederação Nacional dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais (Conafer). O lançamento da entidade ocorrerá no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados deve votar o novo Código Florestal. Os articuladores da Conafer consideram importante a aprovação do texto, mas querem garantias em lei de que as peculiaridades da agricultura familiar serão respeitadas, para que ela possa produzir alimentos com sustentabilidade socioambiental e econômica.

“Os agricultores familiares vêm mostrando, ao longo de décadas, que é possível conciliar produção com preservação ambiental. Por isso, ela deve ter um tratamento diferenciado no Código Florestal”, afirma Carlos Lopes, da Secretaria Nacional de Agricultura Familiar da Força Sindical e ex-presidente da Federação dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais (Fafer) no Centro-Sul. A Conafer será lançada durante o Encontro Nacional dos Sindicatos da Agricultura Familiar, no Plenário 2 da Câmara dos Deputados.
Para Carlos Lopes, a polêmica entre ambientalistas e representantes da agricultura empresarial prejudicou o debate sobre o código. “Isso impediu uma maior participação da sociedade na discussão, mas uma coisa deve ficar clara: a agricultura familiar não aceita ser punida por produzir alimentos em um país onde há milhões de pessoas passando fome. Enquanto os grandes plantam pensando apenas em exportar, os agricultores familiares são responsáveis por 70% dos alimentos produzidos no Brasil.”

Segundo Carlos Lopes, a Conafer vai fortalecer o movimento dos agricultores familiares para cobrar dos governos federal, estaduais e municipais políticas públicas eficazes. “Os investimentos públicos devem contribuir efetivamente para a nossa capacitação. Temos que ter acesso a novas tecnologias agrícolas e a sistemas de melhoria da gestão das propriedades, o que resultará em maiores ganhos de produtividade, fortalecimento da produção sustentável e aumento da geração de renda.”

A agricultura familiar responde por 11% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, destaca Carlos Lopes. “Temos condições de ampliar essa participação. Para tanto, precisamos de apoio efetivo das empresas públicas de assistência técnica e extensão rural e de melhor infraestrutura para transportar nossa produção.” Hoje, o setor envolve 36 milhões de pessoas e tem 340 sindicatos, com 4,5 milhões de filiados em todo país.

Fonte:
Express Comunicação

0 comentário