Código Florestal: Produtores fazem ação para esclarecer senadores

Publicado em 28/09/2011 17:39 498 exibições
“Ideia é mostrar aos senadores e à sociedade como é a realidade do campo”, conta Almir Rebelo, produtor rural e presidente do Clube Amigos da Terra de Tapanciretã.
Fortalecer a participação dos produtores rurais nos debates do Novo Código Florestal brasileiro e esclarecer os senadores sobre a questão são os objetivos da campanha ‘Brasil Verde que Alimenta’, que será lançada nessa quarta-feira, em Brasília. A ação é uma iniciativa do Conselho de Produtores Rurais, que reúne mais de 40 mil agricultores de soja, milho, trigo, feijão, fruticultura, amendoim, cana, eucalipto, além de carnes bovina, suína e de aves, e também de associações, cooperativas e sindicatos rurais de todo o país.

“A ideia é mostrar aos senadores e à sociedade como é a realidade do campo”, conta Almir Rebelo, produtor rural e presidente do Clube Amigos da Terra de Tapanciretã (CAT) – uma das regiões mais produtivas do RS. Ele explica que é importante que os senadores entendam o papel dos agricultores na geração de riquezas para o Brasil e também a importância deles na produção de alimentos para o mundo. “Queremos mostrar que é possível e necessário aliar bons resultados e preservação ambiental”, afirma.

Rebelo ressalta que as atenções estarão voltadas para o Senado. “Os integrantes da campanha assistirão a todas as audiências e esclarecerão os senadores sobre o ponto de vista do produtor rural, a quem diretamente interessa o novo Código Florestal”. Para o Conselho, o atual Código deve ser modificado, pois está em desacordo com as reais necessidades do país atualmente. “Com um Brasil de grandes dimensões, é preciso levar em conta as particularidades de cada região”, completa.

Sobre o CAT

Fundado em 1989, o Clube Amigos da Terra de Tupanciretã é uma associação sem fins lucrativos em defesa do Plantio Direto na Palha e da Biotecnologia, com o objetivo de desenvolver o agronegócio da região e compartilhar as melhores práticas de produção e manejo de lavouras. Possui 90 associados atuantes que representam 100 mil hectares e mais de 300 mil toneladas de grãos produzidos ao ano. Com cerca de 20 mil habitantes, o município gaúcho de Tupanciretã é um dos pioneiros do Brasil no plantio de soja transgênica. A região é considerada a "capital nacional da soja transgênica".

Fonte:
CAT

0 comentário