Exportações de carne suína aumentam 6,93% em março e 3,45% no acumulado do ano

Publicado em 09/04/2012 09:07 281 exibições
Falta de solução para as restrições impostas pela Argentina continua prejudicando.
Apesar da ainda baixa recuperação das vendas para a Rússia e da falta de solução para as restrições impostas pela Argentina, as exportações de carne suína brasileira aumentaram 6,93% em volume, em março, em relação a março de 2011, e 3,02% em valor.

No acumulado do ano, o aumento nas vendas externas foi de 3,45% em toneladas e 0,73% em faturamento, na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. “Esses volumes foram obtidos com grande empenho e sacrifício das empresas exportadoras”, diz Pedro de Camargo Neto, presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína – ABIPECS.

O Brasil exportou, em março, 47.367 toneladas e obteve um faturamento de US$ 121,01 milhões. De janeiro a março deste ano, os embarques somaram 122.249 toneladas e o faturamento foi de US$ 313,36 milhões.

“A Rússia, embora tenha voltado a comprar de quatro estabelecimentos brasileiros, continua com baixo desempenho nas nossas exportações: metade do que comprou no ano passado”, comenta Pedro de Camargo Neto. “A esse problema se somam as restrições aos embarques para a Argentina, que continuam sem solução”.

Hong Kong, principal destino – Hong Kong se mantém como principal destino da carne suína brasileira, respondendo por 30% das exportações do ano. Em março, as vendas para aquele mercado totalizaram 11.969 toneladas com um faturamento de US$ 28,88 milhões. Esse resultado mostra um crescimento de 42,98% em volume e 59,06% em valor, em relação a março de 2011. De janeiro a março, o volume exportado para Hong Kong foi de 36.746 toneladas, com um faturamento de US$ 88,97 milhões, ante igual período do ano passado, o que representa uma elevação de 54,48% em toneladas e 75,34% em valor.

Rússia, 3º mercado - A Rússia continua como 3º destino, neste ano, atrás de Hong Kong e Ucrânia. As vendas para o mercado russo, em março, foram de 8.265 toneladas e US$ 25,83 milhões, na comparação com igual período de 2011, uma queda de 47,97% em volume e de 46,89% em valor. De janeiro a março deste ano, as exportações para a Rússia atingiram 16.379 toneladas e US$ 50,85 milhões, uma variação negativa de 64,38% em volume e 63,22% em faturamento, ante igual período do ano passado.

Argentina cai para 7ª posição – Para a Argentina, o Brasil vendeu 427 t e US$ 1,32 milhão, em março, um declínio de 87,01% em toneladas e 85,86% em valor, ante março de 2011. No primeiro trimestre deste ano, o Brasil exportou para a Argentina 5.179 toneladas e US$ 16,83 milhões, uma queda de 48,60% em volume e 42,87% em valor, em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

China: 500 toneladas - Os embarques para a China continuam, com 264 toneladas em março e 500 toneladas no acumulado do ano.

Ucrânia, aumento de 301% - A Ucrânia foi o principal mercado para a carne suína brasileira em março: 11.972 toneladas e US$ 31,57 milhões, um crescimento de 301% em volume e 255,74% em faturamento, em relação ao mesmo mês do ano passado.

Principais destinos em março:
1º Ucrânia - 11.972 toneladas - 25,27%
2º Hong Kong - 11.969 toneladas - 25,27%
3º Rússia - 8.265 - 17,45%
4º Angola - 4.419 - 9,33%
5º Uruguai – 2.466 - 5,21%
Principais destinos em 2012:
1º Hong Kong - 36.746 toneladas - 30,06%
2º Ucrânia - 25.047 toneladas - 20,49%
3º Rússia - 16.379 - 13,40%
4º Angola - 9.515 - 7,78%
5º Singapura – 7.073 - 5,79%
Tags:
Fonte:
Abipecs

0 comentário