Crise da Suinocultura: Reflexos da Mobilização realizada em Santa Catarina

Publicado em 20/06/2012 10:51 580 exibições
As imagens das cruzes implantadas nas baias, que deveriam abrigar suínos, fizeram o Brasil acordar para ver de perto a situação drástica do setor produtivo da suinocultura. O protesto foi realizado no Sul de Santa Catarina, em Braço do Norte, durante a Feagro 2012, recentemente. Desde então muitos passaram a olhar com outros olhos a crise da atividade, principalmente quem deveria estar acompanhando desde o início, os representantes políticos.

No último dia 13 de Junho, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, convocou uma Audiência em Brasília, para tratar sobre a Crise do Setor Produtivo. “Contamos com a participação dos representantes, senadores e deputados, todos estiveram mobilizados pela situação enfrentada pelos produtores”, destaca o presidente da ACCS, Losivanio Luiz de Lorenzi.

As cruzes que mostraram a tristeza e a morte dos produtores fizeram nascer o anseio por salvar a atividade. Pelo menos foi esse o respaldo da importante reunião realizada em Brasília na última semana. “Com essa primeira audiência, reivindicamos a renegociação das dívidas, liberação de financiamento com prazo de pagamento mais prolongado e com juros agrícolas menores, baseados na queda dos juros”, acrescenta ele.

Entre os próximos passos, que inclusive precisam ser dados com urgência para salvar pelo menos uma parte do setor produtivo, existe uma audiência prevista. “No dia 27 estaremos novamente com o ministro, para que essas medidas possam ser efetivadas. Já no dia 05 de Julho, teremos uma audiência no senado, para mostrar a força do setor e conquistar as ações tão necessárias para salvar a atividade”, pontua o presidente.  

A ACCS reforça que não medirá esforços na luta pelo apoio à suinocultura. “Os produtores que ainda sobrevivem podem ter certeza que não vamos desistir, vamos tentar até o fim, sempre buscando alternativas para salvar o setor. O que precisamos reforçar no Congresso Nacional, por exemplo, é a continuidade de ações, para que não sejam apenas medidas emergenciais, mas também futuras”, completa ele.

O presidente da ACCS reforça que os produtores precisam ter cautela. “É preciso manter, estabilizar a produção, o que estamos vendo agora é uma baixa muito significativa na produção, devido ao descarte de matrizes, principalmente no setor independente, e isso terá um reflexo no futuro, portanto precisamos ter cautela”, finaliza Lorenzi.
Tags:
Fonte:
ACCS

2 comentários

  • Danilo Labs Assis Assis - SP

    E o pior de tudo (e falo isso com muita tristeza) é que quando os preços melhorarem, a maioria vai esquecer que esteve à beira da falência por culpa da oferta excessiva e, novamente, vai voltar a alojar matrizes e aumentar produção, preparando o laço da própria forca. Aí é só aguardar a próxima crise e aquele mesmo chororô de sempre!

    0
  • Danilo Labs Assis Assis - SP

    Todo mundo quebrando, principalmente lá em SC, e o presidente da associação falando em ter cautela, estabilizar produção. Que medo é esse que ele tem dos reflexos futuros? De faltar carne para a indústria? A indústria que se vire. Enquanto os produtores estão indo à falência, a indústria está se lixando para eles. Devem mais é continuar abatendo as matrizes...como disse abaixo o amigo Dalzir, vamos diminuir produção...nosso objetivo é ganhar dinheiro, não abastecer a indústria.

    0