Pacote de medidas do Governo aos suinocultores minimiza dificuldades, mas não é suficiente

Publicado em 20/07/2012 15:43 507 exibições
Segundo ABCS, produtores precisam de subvenção referente à diferença entre o preço de venda do kg do suíno vivo e o custo de produção.
Para a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), não há outra forma de ajudar o produtor de suínos independente que não seja a subvenção por parte do governo federal da diferença entre o preço de venda do kg do suíno vivo e o custo de produção determinado pela Conab e/ou Embrapa nas diversas regiões produtoras, pelo menos até o limite de R$ 0,60 por kg. “Dessa forma, o produtor que hoje conta com R$ 80,00 ou R$ 100,00 de prejuízo reduziria o seu prejuízo para R$ 20,00 ou R$ 40,00, na esperança de uma melhoria no mercado de preços dos insumos e de venda do seu produto”, explica o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, em reunião com o secretário de Política Agrícola, Caio Rocha; o secretário executivo do MAPA, José Carlos Vaz, o Deputado Jerônimo Goergen e presidentes das associações estaduais de criadores de suínos.

Após o Ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, informar a imprensa nacional sobre as medidas já adotadas pelo MAPA para amenizar a crise que afeta a cadeia de suínos na manhã desta quinta-feira, 19, o secretário executivo do MAPA, José Carlos Vaz, repassou aos representantes do setor uma carta de próprio punho, confirmando o comprometimento do Ministério da Agricultura em apoio junto ao Ministério da Fazenda a proposta da subvenção. “O Ministério da Agricultura encaminhará ao Ministério da Fazenda a proposta de subvenção do R$ 0,60 por quilo de suíno, por 6 meses, aos produtores de suínos”, diz a carta.

“Esse subsídio direto ao produtor é a única forma de permitir que o suinocultor brasileiro enfrente os elevados custos de produção no momento” reforçou o presidente e alertou: “Se não houver uma intervenção governamental, corremos o risco de um sério problema social causado pelas inúmeras granjas que abruptamente fecharão suas portas”.

A expectativa dos representantes do setor é que nos próximos dias haja audiência com o Ministério da Fazenda para tratar do assunto.
Tags:
Fonte:
ABCS

0 comentário