Publicidade

Início de 2012: firmeza de preços para o frango vivo, baixa para o ovo

Publicado em 03/01/2013 10:46 337 exibições
 A estratégia adotada pela maioria dos abatedouros avícolas brasileiros de paralisar operações entre o Natal e o Ano Novo foi, sem dúvida, salutar para o setor. Porque, por exemplo, está permitindo que o frango vivo inicie um novo exercicio em mercado firme – o que, se não é inédito, é, pelo menos, extremamente raro.

Com a suspensão dos abates (medida que, de certa forma, o próprio calendário impôs ao setor), o abastecimento do período acabou prejudicado, ensejando que ontem, primeiro dia de negócios de 2013, fossem mantidos os mesmos preços alcançados e mantidos desde meados de dezembro de 2012.

Naturalmente, essa situação não teria continuidade se, doravante, a oferta viesse a aumentar e o abastecimento fosse regularizado. Tudo indica, porém, que não é esse o caso, pois o produto disponível continua sendo restrito, indicando que persistem as dificuldades para se voltar à produção anterior.

Já o setor de postura não desfruta da possibilidade de adotar a mesma estratégia: poedeiras, queira-se ou não, continuam produzindo seja domingo ou feriado, Natal ou Ano Novo. E como, passado o período de Festas, a demanda recua significativamente, começam a ser registrados excedentes.

Publicidade

Isso já havia sido detectado antes mesmo da virada do ano. Mesmo assim as cotações permaneceram inalteradas e só ontem, com os primeiros negócios de 2013, é que enfrentaram ligeiro recuo.

A expectativa é de que isso esteja ligado ao momento, ou seja, ao fraco movimento de todo início de ano. Mas se o mercado não corresponder, o setor produtivo terá que agir rápido para fazer com que a oferta das próximas semanas não ultrapasse o consumo restrito, marca de todo início de novo exercício.

Tags:
Fonte:
Avisite

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário