Suíno Vivo: Após altas, cotações fecham 4ª feira com estabilidade

Publicado em 21/09/2016 18:33 e atualizado em 21/09/2016 19:03
80 exibições

As cotações para o suíno vivo voltaram a registrar estabilidade nesta quarta-feira (21). Nesta semana, algumas praças de comercialização registraram leve reação de preços, mas o cenário é de preços firmes em grande parte das regiões. Em São Paulo, com a recuperação que houve nos últimos dias, a referência de negócios segue entre R$ 77 a R$ 79/@ – equivalente a R$ 4,11 a R$ 4,21/kg.

Informações da Safras & Mercado apontam que a demanda enfraquecida é um dos fatores que tem influenciado a pouca movimentação em setembro, inclusive com relatos por parte dos frigoríficos. Para o analista Allan Maia, os próximos dias devem ser de preços estáveis devido ao período do mês, que é de menor consumo.

Com isso, os custos de produção continuam sendo de preocupação ao setor, mesmo com alguns recuos nas cotações do milho – principal insumo que tem afetado o cenário. “O alto custo segue como maior preocupação do suinocultor brasileiro e reajustes nas cotações são necessários para a recuperação da margem operacional da atividade”, explica Maia.

Além disto, a Scot Consultoria aponta que a carne suína perdeu competitividade frente a bovina nos últimos meses. Com a recuperação em São Paulo e os recuos de preços para a carcaça bovina, houve uma queda de 20,2% na relação de troca.

“A restrição produtiva para a carne suína e de frango, estimulada sobretudo pelas valorizações expressivas do milho, colaborou para este ajuste. A migração de parte do consumo da carne bovina para estas proteínas é outro fator”, aponta a consultoria.

Por outro lado, as exportações têm tido bom resultado nas parciais de setembro. Segundo informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) divulgadas na segunda-feira, até a terceira semana foram embarcadas 35,4 mil toneladas, com média diária de 3,2 mil toneladas.

» Acesse as cotações na íntegra para o suíno vivo

Por Sandy Quintans
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário