CNA debate reformulação do modelo de remuneração para produtores integrados

Publicado em 12/10/2016 08:51
37 exibições
A formação bilateral de metodologia está prevista em lei que estabelece normas para relação contratual entre produtores integrados e agroindústria

Brasília (11/10/2016) – Representantes de associações de produtores integrados de aves e suínos se reuniram, nessa segunda-feira (10/10), com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), para debater o preço de referência da remuneração dos produtores. A metodologia de preço está prevista no artigo 12, da Lei 13.288/16, que estabelece normas para relação contratual entre produtores integrados e agroindústria. Criadores de suínos e aves estão entre os principais beneficiados, já que a maioria produz em sistema de integração.

De acordo com o assessor técnico da Comissão Nacional de Aves e Suínos da CNA, Victor Ayres, o grupo técnico avaliou diferentes modelos de remuneração difundidos no Brasil e destacaram os benefícios e gargalos de cada um deles. “Nós discutimos os critérios metodológicos que devem ser levados em consideração para formação de uma remuneração equilibrada na distribuição dos resultados, para depois negociarmos diretamente com a agroindústria”, disse.

O estabelecimento de um preço de referência nos contratos de integração é uma das maiores reivindicações do setor produtivo. “O produtor integrado deve sempre lembrar que a metodologia prevista na lei sofrerá revisão periódica. Acreditamos que a evolução da relação contratual em longo prazo servirá de embasamento para sempre aprimorarmos a metodologia de preço de referência”, destacou o assessor.

Participaram da reunião a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), a Associação Brasileira dos Avicultores Integrados (ABAI), Associação dos Granjeiros Integrados da Perdigão (AGINTERP) de Rio verde, Goiás, a Associação dos Granjeiros Integrados do Estado de Goiás (AGIGO), a Associação dos Produtores Integrados de Mato Grosso (APRISMAT) e a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP).

Fonte: CNA

Nenhum comentário