Suíno Vivo: Após altas em SP, SC e RS, cotações fecham estáveis nesta 3ª feira

Publicado em 06/12/2016 17:25 68 exibições

Após altas registradas, o mercado de suíno vivo fechou com preços estáveis nesta terça-feira (06). A bolsa de suínos de Minas Gerais manteve a referência de negócios na praça em R$ 4,60 pelo quilo do vivo, após registrar valorização de R$ 0,20 na semana anterior.

Apesar dos preços firmes no estado mineiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina já sinalizaram alta no último fechamento, em função das festividades de final de ano. Com isso, a tendência para os próximos dias é de valorização, após semanas de preços estagnados diante das dificuldades de escoamento da produção.

A Scot Consultoria aponta que no atacado também houve valorização de preços na praça paulista, com alta de 5% na semana e cotação a R$ R$ 6,30 por quilo. Com os recuos para os preços do milho, também houve melhora no poder de compra dos suinocultores do estado. Em Campinas (SP), é possível comprar 7,23 quilos de milho com um de suíno, representando uma melhora de 10,1% nos últimos sete dias.

Além disto, a consultoria aponta que a tendência é positiva para os próximos dias. “Com a entrada do novo mês e a proximidade com as festividades de final de ano, o setor aguarda um movimento maior. Altas de preços não estão descartadas”, explica o boletim.

Apesar das altas, o mercado registrou grandes dificuldades em todo o ano, com consecutivas quedas de preços e altos custos de produção. O presidente da ACCS (Associação Catarinense de Criadores de Suínos), Losivanio de Lorenzi, explica que as dificuldades politicas e econômicas afetou diretamente o consumo das proteínas.

“Há empresas com dificuldades de pagar o 13º salário dos funcionários. Isso vai limitar a entrada de dinheiro no mercado. Esperamos que as exportações permaneçam em alta para que a ascensão de preço do suíno seja contínua no mercado independente. Cobramos que as agroindústrias remunerem melhor também seus produtores”, relata. 

» Clique e confira as cotações na íntegra para o suíno

Por:
Sandy Quintans
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário