Publicidade

Suinocultura independente: mercado esfria e preços começam a ceder em algumas praças

Publicado em 24/06/2021 16:20 135 exibições
Os Estados que tiveram alta na semana projetam quedas para os próximos dias, apontando arrefecimento nas exportações

LOGO nalogo

Depois de esboçar reação de retomada de alta nos preços nas primeiras semanas de junho, nesta quinta-feira (24) o mercado da suinocultura independente começou a perder a força.

Em São Paulo, segundo informações da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), pela segunda semana seguida não houve acordo entre suinocultores e frigoríficos. 

Na última quinta-feira (17), os frigoríficos rejeitaram a proposta dos produtores de R$ 8,00/kg vivo na bolsa, mas durante a tarde, foram realizados negócios neste valor. Nesta quinta (24), não houve consenso, e o preço sugerido pela APCS é de R$ 7,46/kg vivo.

A negociação desta quinta-feira em Santa Catarina também terminou em queda, com o preço do animal vivo saindo de R$ 7,65/kg para R$ 7,16/kg vivo, conforme informações da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS).

O mercado mineiro não teve queda nesta quinta-feira, mas foi a terceira semana consecutiva com o preço parado em R$ 7,50/kg vivo. Segundo o consultor de mercado da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais, Alvimar Jalles, não houve acordo entre as partes devido à diferenças na avaliação de mercado por conta da volatilidade no setor. Apesar disso, ele pontua que a expectativa da mudança de mês renova a esperança de preços melhores.

Publicidade

Considerando a média semanal (entre os dias 17/06/2021 a 23/06/2021), o indicador do preço do quilo do suíno do Laboratório de Pesquisas Econômicas em Suinocultura (Lapesui) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) teve alta de 8,67%, fechando a semana em R$ 7,41.

"Espera-se que na próxima semana o preço do suíno vivo apresente queda, podendo ser cotado a R$ 7,23", informou o reporte do Lapesui.

O mercado gaúcho negocia os animais no mercado independente às sextas-feiras, e na última (18), houve aumento de R$ 7,05/kg vivo para R$ 7,12/kg vivo.

Entretanto, segundo o presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs), Valdeci Folador, a perspectiva para a bolsa de amanhã (25) é de preços em queda, com frigoríficos justificando que as exportações para a China estão mais fracas e que o mercado interno não consegue absorver a mercadoria.

Leia Mais:

+ Suinocultura chinesa está se recompondo, mas ainda tem fragilidades, diz especialista

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário