Chuvas intensas no Oeste e Noroeste do PR causam estragos em aviários

Publicado em 15/10/2021 17:13 e atualizado em 17/10/2021 14:09 2007 exibições
Uma empresa em Cianorte teve de 8 a 10 galpões comprometidos pelas tempestades ocorridas nos últimos dois dias.

Logotipo Notícias Agrícolas

Chuvas intensas que atingiram o Oeste e o Noroeste do Paraná desde a quinta-feira (14) causaram estragos em várias cidades e também em áreas rurais, com destaques para aviários detelhados e alagados. (Confira imagens no final da matéria)

Segundo dados do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), o deslocamento de uma frente fria da Argentina e do Paraguai pelo mar, durante a madrugada, provocou instabilidade no Paraná, com temporais e ventos fortes entre as regiões Oeste e Noroeste. No município de Palotina, os ventos chegaram aos 101,5 km/h. Ventou forte também na região Norte.

O presidente da comissão técnica de avicultura da Federação de Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Diener Gonçalves de Santana, e a presidente da comissão técnica de suinocultura, Deborah Gheus, os estragos ainda não foram totalmente contabilizados.

"A princípio não temos informações consolidadas, mas foram duas frentes de ventos; a primeira causando mais estragos no noroeste e essa segunda comprometendo as redes elétricas", explicou Santana.

De acordo com ele, somente em uma integradora em Cianorte, de 8 a 10 aviários foram comprometidos. O Notícias Agrícolas também recebeu informações de que um aviário no município de Ubiratã foi alagado. 

>> Temporal ainda compromete abastecimento de água e luz em várias cidades do Paraná

>> Copel e Sanepar intensificam o trabalho para restabelecer o fornecimento de luz e água

Aviário alagado em Ubiratã (PR)

 

Aviário em Cianorte (PR)

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário