Suinocultura independente: preços iniciam movimento de retomada

Publicado em 18/11/2021 15:50 205 exibições
Lideranças comentam que preços ainda estão distantes do custo de produção, mas que mercado está mais aquecido em preparação para festas de fim de ano

Logotipo Notícias Agrícolas

A movimentação dos preços na suinocultura independente nesta semana foi de alta nos preços, marcada nesta quinta-feira (18) com a realização de negociações nas bolsas de suínos nas principais praças produtoras. De acordo com lideranças da área, o mercado está mais demandado em preparação para as festas de final de ano, e a retomada do pagamento do auxílio emergencial e entrada do 13º salário auxiliam nas vendas.

Em São Paulo, segundo informações da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), a realização da bolsa de suínos finalizou com negociação positiva para os suinocultores, com valor passando de R$ 7,20/kg vivo para R$ 8,00/kg vivo.

No mercado mineiro, ficou mantido o mesmo preço da semana anterior, R$ 7,50/kg vivo, de acordo com informações da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg).

Segundo o consultor de mercado da entidade, Alvimar Jalles, o mercado no Estado mantém boas vendas, assim como parece acontecer com outros estados do Brasil. "Os frigoríficos alegaram fortemente que Minas estava com os preços deslocados, além da competitividade razoável de mercado. O acordo mantém a liquidez do mercado e prepara para o final de ano", explicou.

Santa Catarina também registrou aumento, saindo de R$ 6,56/kg vivo para R$ 7,12/kg vivo. O presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio de Lorenzi,  acredita que a melhora nos valores vem da maior compra por parte dos frigoríficos de olho nas festas de fim de ano e com o otimismo da notícia de que a Rússia deve comprar carne bovina e suína do Brasil. 

No estado do Paraná, Considerando a média semanal (entre os dias 11/11/2021 a 17/11/2021), o indicador do preço do quilo vivo do Laboratório de Pesquisas Econômicas em Suinocultura (Lapesui) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) teve alta de 2,16%, fechando a semana em R$ 6,56.

"Espera-se que na próxima semana o preço do suíno vivo apresente queda, podendo ser cotado a R$ 6,46", informou o reporte do Lapesui.

O mercado gaúcho, que negocia os animais no mercado independente às sextas-feiras, reportou alta no preço na última (12), com valor passando de R$ 6,24/kg vivo para R$ 6,44/kg. O presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs), Valdecir Folador, explica que a tendência de de aumento nos valores, uma vez que nas outras praças produtoras também houve alta e a carcaça suína já está valendo cerca de R$ 11,00/kg no Estado. 
 

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário