Criadores de suínos da China enfrentam dificuldades para voltar a lucrar

Publicado em 25/03/2022 17:14

Logotipo Reuters

Por Dominique Patton

PEQUIM (Reuters) – Os suinocultores da China, que sofrem perdas recordes devido ao aumento dos custos de alimentação e à fraca demanda de suínos, estão mudando do farelo de soja mais caro para grãos de menor qualidade, e até mesmo vendendo ativos em uma tentativa de sobrevivência.

A dor no maior mercado de suínos do mundo, no entanto, pode durar até o próximo ano, disseram analistas, diminuindo a renda na economia rural da China e provavelmente reduzindo as importações de soja e carne pelo maior comprador do mundo pelo segundo ano.

O declínio segue um período de enormes lucros para muitos agricultores, depois que o vírus da peste suína africana devastou o rebanho há três anos, reduzindo a produção de carne suína e elevando os preços.

Mas depois de reconstruir rapidamente o rebanho, os produtores descobriram que a demanda por carne havia diminuído devido aos repetidos surtos de Covid-19 que fecharam restaurantes.

Agora, depois de meses de perdas, os agricultores enfrentam um aumento nos custos, conforme os preços já elevados dos grãos disparam após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

As perdas médias de 480 iuanes (75,42 dólares) por porco abatido no início desta semana foram as piores de todos os tempos, de acordo com a consultoria Shanghai JC Intelligence Co Ltd (JCI). Analistas dizem que as perdas são generalizadas, das grandes empresas aos pequenos proprietários.

Os preços de venda de suínos atualmente estão em média em torno de 12 iuanes por quilo, metade do que eram há um ano, mas os custos na maioria dos grandes produtores ainda estão acima de 16 iuanes.

(Reportagem de Dominique Patton; Reportagem adicional de Hallie Gu)

Tags:
Fonte:
Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário