Suinocultura independente: preços cedem forte nas principais praças nesta quinta-feira (12)

Publicado em 12/05/2022 16:19 e atualizado em 12/05/2022 16:58
Lideranças apontam o excesso de oferta no mercado como razão para o recuo nos preços do animal vivo

Logotipo Notícias Agrícolas

Esta quinta-feira (12) foi de queda geral para as principais praças comercializadoras de suínos no mercado independente. Lideranças do setor atribuem o movimento de emrcado ao excesso de oferta de animais vivos e de carne nos frigoríficos. 

Em São Paulo, segundo dados da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), o preço caiu de R$ 7,36/kg vivo (registrado no dia 28 de abril, já que no dia 5 de maio não houve referência de preço) para R$ 6,13/kg.

O presidente da entidade, Valdomiro Ferreira, explica que o mercado já havia sinalizado no decorrer da semana uma queda nos preços, e que o papel da Bolsa de Suínos hoje foi ajustar os preços à realidade do mercado. "Teve no Dia das Mães, o que acarretou um excesso de oferta de suíno vivo e abatido, e também os frigoríficos ficaram com um pouco de estoque. Para haver liquidez, foi preciso derrubar preço", disse. 

No mercado mineiro, o valor caiu de R$ 7,00/kg para R$ 6,30 o quilo vivo, com acordo entre suinocultores e frigoríficos, conforme com informações da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg).

"O mercado no estado opera atualmente em uma combinação de pesos baixos nas granjas mineiras, mas com oferta abundante de outros Estados do Brasil. Paralelo a isso, os preços de carcaças recuaram em todo país. O ajuste de preços é inevitável essa semana. Apesar de amargo, o preço do acordo favorece a liquidez do mercado e as vendas. São elas que enxugam oferta", disse Alvimar Jalles, consultor de mercado da entidade.

Santa Catarina também registrou recuo, saindo de R$ 6,18 para R$ 5,76 o quilo vivo. O presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio de Lorenzi, explica que será difícil haver uma mudança eficaz no mercado enquanto o plantel não for reduzido drasticamente. 

No estado do Paraná, Considerando a média semanal (entre os dias 05/05/2022 a 11/05/2022), o indicador do preço do quilo vivo do Laboratório de Pesquisas Econômicas em Suinocultura (Lapesui) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) teve queda de 0,85%, fechando a semana em R$ 6,01.

"Espera-se que na próxima semana o preço do suíno vivo apresente queda, podendo ser cotado a R$ 5,95 o quilo", informou o reporte do Lapesui.

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário