Exportação de carne suína fecha junho melhor do que maio, mas ainda com índices inferiores a junho/21

Publicado em 01/07/2022 16:07
Segundo analista, há indícios de que os preços internacionais para a carne suína estejam melhorando, já que dentro da China os preços da carne suína produzida localmente estão em curva de alta

Logotipo Notícias Agrícolas

De acordo com informações da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Governo Federal, divulgadas nesta sexta-feira (1º de julho), as exportações de carne suína fresca, congelada ou resfriada durante todo o mês de junho de junho (21 dias úteis) melhoraram em relação ao resultado de maio, mas ainda ficaram aquém do obtido em junho de 2021.

O analista da SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o que fica de destaque para a carne suína é um indício de melhora nos preços internacionais, já que o gigante asiático começa a apresentar preços maiores internamente.

"Vemos também um horizonte com chance deque os custos de produção cedam um pouco no segundo semestre com a entrada da safrinha de milho, mas o cenário na suinocultura interna é ainda complicado. A China segue comprando menos, e nós acabamos dependendo do Vietnã, Filipinas, Argentina e Chile, que vêm adquirindo bons volumes, para termos um desempenho melhor", disse. 

A receita obtida com as exportações de carne suína, US$ 202.945,597, representa 79,6% do montante obtido em todo junho de 2021, que foi de US$ 254.642,089. No caso do volume embarcado, as 83.536,501 toneladas são 86% do total exportado em junho do ano passado, quantia de 97.655,828 toneladas.

Em comparação ao mês anterior, os US$ 202.945,597 arrecadados com as exportações de carne suína são 6,3% maiores do que o registrado em maio, US$ 190.882,039. Sobre o volume, as 83.536,501 toneladas embarcadas em junho são 4,6% superiores do que o que foi computado em maio, montante de 79.814,202.

O faturamento por média diária neste mês foi de US$ 9.664,076 quantia 20,3% menor do que junho de 2021. No comparativo com a semana anterior, houve baixa de 15,9%.

No caso das toneladas por média diária, foram 3.977,928, houve recuo de 14,5% no comparativo com o mesmo mês de 2021. Quando comparado ao resultado no quesito da semana anterior, observa-se retração de 15,7%.

Já o preço pago por tonelada, US$ 2429,424 é 6,8% inferior ao praticado em junho passado. O resultado, frente ao valor atingido na semana anterior, representa leve queda de 0,19%.

 

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário