Brasil diversifica mercado de ovos férteis

Publicado em 21/05/2010 09:29 283 exibições
Embora se trate de atividade ainda incipiente – principalmente em comparação à exportação de carne de frango, realizada pelo País há quase 35 anos (primeiros embarques datam do segundo semestre de 1975) – as exportações brasileiras de ovos férteis vêm se ampliando e hoje contam com um mercado diversificado, que já não se resume mais aos países da América do Sul.

Claro que os países sul-americanos continuam em maior número – o que acontece, até, por uma questão de logística, já que o produto é extremamente perecível e seu transporte dos mais delicados.

Mas outros continentes vêm recebendo regularmente o produto brasileiro. E em abril de 2010, por exemplo, o sistema Alice da SECEX/MDIC aponta que 14 diferentes países adquiriram ovos férteis produzidos no Brasil.

O que alguns questionam quando vêem a expansão das exportações de ovos férteis é se esse tipo de atividade não seria autofágico, pois entendem que o importador de ovos férteis está deixando de importar carne de frango. Mas não é bem assim. Por, pelo menos, três razões:

Primeira: quem importa ovo fértil dispõe de instalações e condições para produzir o pinto de um dia, criar e abater o frango. Ou seja: se não importar do Brasil vai recorrer a outro fornecedor.

Segunda: o ovo fértil exportado pelo Brasil não se resume ao produto destinado à produção de pintos de corte (portanto, de carne de frango). Inclui, também, produto para a produção de poedeiras e, ainda, para a produção de avós e matrizes (hoje o País é base das principais casas genéticas mundiais);

Terceira: como foi dito no princípio, a atividade é incipiente. Em abril, por exemplo, gerou receita cambial de US$4,780 milhões e envolveu não mais que mil toneladas do produto.

Tags:
Fonte:
AviSite

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário